Tratamento de fístula buco-sinusal por retalho bucal deslizante: Relato de caso EIXO/ESPECIALIDADE: CTBMF

  • Tayguara Cerqueira Cavalcanti CESMAC

Resumo

A comunicação buco-sinusal é uma patologia comum relatada na literatura como um acesso direto, revestido por tecido epitelial, caracterizando uma comunicação do seio maxilar com a cavidade bucal. Ocorre principalmente após extrações de dentes superiores posteriores, quando o ápice do dente apresenta relação com a cavidade sinusal, e em menor frequencia tem a destruição do seio por lesões periapicais, remoção de cistos e/ou tumores do palato ou do seio maxilar e traumatismo causado pelo uso inadequado de instrumentos. O diagnóstico das fístulas buco-sinusais é dado geralmente por procedimentos clínicos e radiográficos. Clinicamente observa-se apenas o orifício da comunicação e radiograficamente uma imagem radiopaca no seio maxilar afetado. A passagem de alimentos e líquidos da cavidade oral para o seio maxilar e consequente refluxo para a cavidade nasal é considerado um dos sinais mais impo rtantes para o diagnóstico,em casos de comunicação de pequena extensão é preconizado o uso da manobra de vasalva para ajuda do mesmo. Como métodos de fechamento das fístulas buco-sinusais é destacado o deslizamento do retalho bucal e retalho palatal, uso de enxertos ósseos e de implante de materiais aloplásicos, retalho do músculo mucoso inferior da árteria facial ou retalho miofacial de temporal associada a bola de bichat. Por ser um procedimento relativamente simples, rápido e com alto índice de sucesso, o uso de retalho bucal deslizante é indicado para o tratamento de comunicação buco-sinusal. Par a evitar infecções do seio e instalação de uma sinusite particular o fechamento deve ser o mais precoce possível. 
Publicado
Nov 12, 2015
##submission.howToCite##
CERQUEIRA CAVALCANTI, Tayguara. Tratamento de fístula buco-sinusal por retalho bucal deslizante: Relato de caso EIXO/ESPECIALIDADE: CTBMF. REVISTA INCELÊNCIAS, [S.l.], v. 5, n. 1, nov. 2015. ISSN 2178-0935. Disponível em: <http://revistas.cesmac.edu.br/index.php/incelencias/article/view/414>. Acesso em: 16 dez. 2018.