Análise comparativa da diferença de radiopacidade de três tipos de cones de guta-percha: Protaper F2, Wave One Primary e Tanari.

  • Daniel Pinto de Oliveira CESMAC

Resumo

A busca pela perfeição de um tratamento endodôntico, vem fazendo com que cada vez mais técnicas de instrumentação e obturação sejam aperfeiçoadas. Para avaliar a eficiência dessas técnicas, uma boa imagem radiográfica se faz necessária. A radiopacidade, propriedade física dos materiais obturadores, nos permite a visualização radiográfica do preenchimento dos canais radiculares. Diante da importância dessa propriedade, o objetivo desse trabalho é comparar a radiopacidade de marcas de cones de guta-percha: Protaper F2 (Dentsply), Wave one Primary 25.08 (Dentsply) e Tanari 25.08 (Endo Tanari). Para esse estudo comparativo foram utilizados 45 cones, sendo 15 de cada tipo. Cada amostra de cone foi marcada em cinco pontos representando a ponta, 3 mm, 6 mm, 9 mm e 12 mm sucessivamente. Esses cones foram posicionados em um sensor digital e radiografados com um aparelho de 70 Kvp/2mA, com um tempo de exposição de 0,16 seg., a uma distância de 5 cm. Os valores obtidos foram organizados em uma planilha de Microsoft Excel e analisados por um software de análise estatística Biostat 5,0. O resultado mostrou um memor grau de radiopacidade no ponto que representa a ponta de todas as marcas cone de guta-percha analisadas e um maior grau de radiopacidade no ponto que representa os 12 mm. Os cones da Wave one Primary 25.08 (Dentisply) apresentaram-se em sua maioria mais radiopacos exceto aos 12 mm da ponta, onde foram superados pelos cones Tanari 25.08 (Endo Tanari), com uma pequena diferença. Os cones Protaper F2 (Dentsply) foram os menos radiopacos.
Publicado
Nov 12, 2015
##submission.howToCite##
PINTO DE OLIVEIRA, Daniel. Análise comparativa da diferença de radiopacidade de três tipos de cones de guta-percha: Protaper F2, Wave One Primary e Tanari.. REVISTA INCELÊNCIAS, [S.l.], v. 5, n. 1, nov. 2015. ISSN 2178-0935. Disponível em: <http://revistas.cesmac.edu.br/index.php/incelencias/article/view/426>. Acesso em: 16 dez. 2018.