Amelogênese imperfeita hipomaturada: relato de caso

  • Fernanda Braga Peixoto CESMAC

Resumo

A amelogênese imperfeita pode ser descrita como uma alteração do desenvolvimento da estrutura do esmalte dental ocorrendo em ambas às dentições, decídua e permanente. Os estudos indicam que a ocorrência dessa anomalia variam em torno de 1:718 a 1:14.000 pessoas e esse fenômeno está fortemente associado ao padrão de herança hereditária dominante ou recessivo. Sendo assim, podem ocorrer diferentes tipos de Amelogênese Imperfeita: Hipoplásica, Hipomaturada e Hipomineralizada. O objetivo deste trabalho foi relatar um caso de um paciente do gênero feminino, 33 anos de idade, com os dentes afetados de forma normal, mas apresentando manchas branca-marrom-amarelada opaca. Diante das características clínicas, foi sugerido o diagnóstico de Amelogênese Imperfeita Hipomaturada. Clinicamente, a superfície do esmalte é manchada e da cor marrom-ágar, conseqüentemente, fraturado á partir da dentina subjacente e é macio o bastante para ser perfurado por sonda explorada. Radiograficamente, o esmalte mostra-se com uma radiodensidade similiar ou menor que a dentina. Após a correta identificação desta enfermidade, os possíveis tratamentos são restaurador e preventivo para que o paciente alcance uma dentição de vista estética no padrão da normalidade.
Publicado
Nov 12, 2015
##submission.howToCite##
BRAGA PEIXOTO, Fernanda. Amelogênese imperfeita hipomaturada: relato de caso. REVISTA INCELÊNCIAS, [S.l.], v. 5, n. 1, nov. 2015. ISSN 2178-0935. Disponível em: <http://revistas.cesmac.edu.br/index.php/incelencias/article/view/438>. Acesso em: 11 dez. 2018.