A RELAÇÃO DA DOENÇA PERIODONTAL COM O PARTO PREMATURO

  • Maria Izabel de Mendonça Alves Centro Universitário Cesmac

Resumo

Este estudo trata-se de uma revisão de literatura que busca evidenciar a possível relação entre a doença periodontal e o parto prematuro. Apesar da crescente quantidade de estudos sobre essa relação, o conhecimento dos aspectos biológicos ainda são incompletos. Foi observado nos artigos selecionados  que o parto ocorre não somente baseado em um único fator de risco isolado, mas sim da relação entre alguns fatores como o fumo, classe econômica, raça, diabetes, hipertensão e idade, assim como a doença periodontal. A doença periodontal, sendo uma infecção crônica, pode exercer influência sobre o processo do parto prematuro de duas formas: Indiretamente, onde os tecidos periodontais inflamados passam a atuar como um reservatório de bactérias, que se deslocam via corrente sanguínea até a cavidade uterina; e diretamente onde os próprios sítios periodontais produzem mediadores inflamatórios e estes passariam atuar como potenciais fontes de citocinas fetotóxicas. Vários estudos também indicam que o tratamento da doença periodontal é eficaz, reduzindo a incidência do parto prematuro. Considerando que gestantes formam um grupo que apresenta boa receptividade a mudanças, um bom planejamento de novas condutas preventivas à doença periodontal, nos sistemas públicos e privados de saúde, tanto na gestante como naquelas que planejam engravidar, bem como o monitoramento durante a gravidez, atuaria diminuindo o risco de prematuridade.
Publicado
Nov 18, 2015
##submission.howToCite##
ALVES, Maria Izabel de Mendonça. A RELAÇÃO DA DOENÇA PERIODONTAL COM O PARTO PREMATURO. REVISTA INCELÊNCIAS, [S.l.], v. 5, n. 1, nov. 2015. ISSN 2178-0935. Disponível em: <http://revistas.cesmac.edu.br/index.php/incelencias/article/view/460>. Acesso em: 11 dez. 2018.