AVALIAÇÃO “IN VITRO” DA ACURÁCIA DE DUAS MARCAS DE LOCALIZADORES FORAMINAIS ELETRÔNICOS

  • Daniel Pinto de Oliveira Centro Universitário Cesmac

Resumo

A determinação do comprimento de trabalho de um canal radicular é uma etapa muito importante para o sucesso do tratamento endodôntico e, por muito tempo, o exame radiográfico foi o único método para obtenção desta medida. A introdução de localizadores foraminais eletrônicos possibilitou maior precisão, rapidez, segurança e facilidade à odontometria, e por isso é cada vez mais comum entre os endodontistas. O objetivo deste trabalho foi avaliar a acurácia de duas marcas de localizadores foraminais eletrônicos: NovApex (Forum Tec.) e RomiApex D-30 (Romidan) na determinação da localização do forame apical. Quarenta molares inferiores humanos, extraídos por diversos motivos tiveram a raiz distal removida, sendo utilizadas somente as raízes mesiais. Após o acesso endodôntico, foi realizado o preparo dos terços cervical e médio. Posteriormente foi determinado o comprimento real do dente, inserindo uma lima k#10 até que sua extremidade fosse observada no forame apical com auxílio de microscópio operatório. A lima era removida do canal e seu comprimento foi aferido com um paquímetro digital. Para determinar as medidas dos canais radiculares utilizando os localizadores foraminais eletrônicos, os dentes foram colocados num dispositivo de alginato para permitir a condutibilidade dos aparelhos, os quais foram utilizados um por vez e de acordo com as recomendações do fabricante para a detecção do forame apical. Essa medida também foi registrada utilizando o paquímetro digital. Os resultados foram comparados por meio de análise estatística e o aparelho NovApex obteve acurácia significativamente melhor que o RomiApex.
Publicado
Nov 20, 2015
##submission.howToCite##
OLIVEIRA, Daniel Pinto de. AVALIAÇÃO “IN VITRO” DA ACURÁCIA DE DUAS MARCAS DE LOCALIZADORES FORAMINAIS ELETRÔNICOS. REVISTA INCELÊNCIAS, [S.l.], v. 5, n. 1, nov. 2015. ISSN 2178-0935. Disponível em: <http://revistas.cesmac.edu.br/index.php/incelencias/article/view/493>. Acesso em: 16 dez. 2018.