Potencial Antioxidante e Antibacteriano do Extrato Etanólico de Plantas Usadas como Chás

  • Rhuanna Rackel de Sá Azevedo Cesmac
  • Vanessa Gomes Amaral Almeida Cesmac
  • Egidi Mayara Firmino Silva Cesmac
  • Alexandre de Lira Silva Cesmac
  • Nathália Rose da Silva Gomes Cesmac
  • Thaisa Morgana da Silva Matias Cesmac
  • Larissa Isabela Oliveira de Souza Cesmac
  • Aldenir Feitosa dos Santos Cesmac

Resumo

Este trabalho teve por objetivo avaliar o potencial antioxidante e antibacteriano do extrato etanólico de plantas usadas como chás. A pesquisa da atividade antioxidante foi pelos métodos de DPPH e FTC, além da determinação de compostos fenólicos pelo método do Follin. A atividade antibacteriana foi por meio de difusão em disco de papel. Os resultados mostram que o Cymbopogon citratus foi à planta que teve melhor percentual de atividade antioxidante pelo método DPPH além da maior quantidade de compostos fenólicos. Quanto ao FTC não houve diferença significativa. Atividade antibacteriana a Mentha crispa L. foi à planta que apresentou bom resultado.
Publicado
Abr 13, 2013
##submission.howToCite##
AZEVEDO, Rhuanna Rackel de Sá et al. Potencial Antioxidante e Antibacteriano do Extrato Etanólico de Plantas Usadas como Chás. REVISTA SEMENTE, [S.l.], v. 6, n. 6, abr. 2013. ISSN 1980-8607. Disponível em: <http://revistas.cesmac.edu.br/index.php/semente/article/view/162>. Acesso em: 11 dez. 2018.
Seção
Artigos