DESVALORIZAÇÃO DOCENTE: NA PERSPECTIVA DOS ACADÊMICOS DO CURSO DE PEDAGOGIA

  • Cleudilene de Jesus Rodrigues Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES, MG
  • Leonice Vieira de Jesus Paixão Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES, MG
  • Jeisabelly Adrianne Lima Teixeira Faculdade Verde Norte – FAVERNORTE, MG
  • Nebson Escolástico da Paixão Faculdade Verde Norte – FAVERNORTE, MG
  • Cleiciane Faria Soares Faculdade Verde Norte – FAVERNORTE, MG
  • Kênia Luiza Ferreira Rocha Faculdade Verde Norte – FAVERNORTE, MG
Palavras-chave: Formação acadêmica, Curso de pedagogia, Desvalorização docente

Resumo

O presente trabalho foi elaborado a partir das inquietações surgidas durante a participação enquanto acadêmica do Subprojeto Formação do Regente Alfabetizador, do PIBID / CAPES, de Brasília de Minas – MG. Sendo este, resultado de uma pesquisa que teve como objetivo analisar e compreender as relações estabelecidas entre os acadêmicos com o curso de pedagogia, procurando identificar, no mesmo, quais os fatores que motivaram a escolha para o referido curso, destacando os fatores que contribuíram e influenciaram nesse processo. Pontuamos como os acadêmicos se sentem nesse contexto, em que a profissão docente vem sendo desvalorizada pela nossa sociedade. A pesquisa traz a luz uma breve reflexão acerca do processo de desvalorização docente baseada nos seguintes autores: Chamom (2005), Freire (2001), Gadotti (2003), Loureiro (2001) e Libâneo (2004), dentre outros. Foi utilizado como instrumento de coleta de dados um questionário aplicado a 35 acadêmicos do curso de pedagogia de uma universidade publica do estado de Minas Gerais. Ao estudarmos a relação dos acadêmicos com o curso de pedagogia e os fatores que definiram a escolha do mesmo, concluímos que, essa escolha se deu, devido a não aprovação dos mesmos em outros cursos almejados por eles, ou como eles mesmos se proclamaram “por falta de opção”. Mediante a pesquisa realizada, foi possível perceber que os principais fatores que desmotivam a classe de futuros docentes são a desvalorização da profissão acerca dos baixos salários, porém, é possível perceber que a docência ainda desperta o interesse de alguns acadêmicos. Infelizmente, a educação tem muitos desafios a vencer, e obstáculos a superar, mas a obrigação de transformá-la não é somente dos professores, mas de todos nós que somos cidadãos de um país marcado pelo fracasso do sistema educacional e das diferenças econômicas entre as classes sociais. Todos nós precisamos nos conscientizar e nos responsabilizarmos em relação á importância da educação do nosso país.

 

 

Referências

CHAKUR, Cilene R. S. L. Desenvolvimento Profissional Docente: contribuições de uma leitura piagetina. Araraquara. SP: JM Editora. 2001, p. 233-250.
CHAMOM, Magda. Trajetória da feminização do magistério: ambiguidades e conflitos. Belo Horizonte: autêntica 2005.
CODO, W. (Coord.). Educação: carinho e trabalho. Petrópolis: Vozes, 1999.
FREIRE, Paulo. Política e educação. 6° edição. São Paulo, 2001.
________. Educação e mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.
GADOTTI, Moacir. Boniteza de um sonho: ensinar e aprender com sentido. São Paulo: Grubras, 2003.
GIROUX, Henry A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.
LIBANEO, Jose Carlos. Adeus professor, adeus professora? Novas exigências educacionais a profissão docente. 8° edição. São Paulo, 2004.
LOMBARDI, J. C. & SAVIANI, D. Marxismo e Educação debates contemporâneos. Campinas: Autores associados, 2005.
LOUREIRO, Carlos. A docência como profissão: culturas dos professores e a (in) diferenciação profissional. Porto: edições asa, 2001.
RODRIGUES, Ângela & ESTEVES, Manuela. A análise das necessidades na formação de professores. Porto: Editora, 1993.
Publicado
2019-08-07