EMPREENDEDORISMO COMO UMA FERRAMENTA DE DIFERENCIAL COMPETITIVO PARA O PROFISSIONAL DE GRADUAÇÃO DO BRASIL

  • Ibira Ferro Ferraz Centro Universitário - CESMAC
Palavras-chave: Metodologia pedagógica, Ensino de empreendedorismo, Interdisciplinaridade

Resumo

Em um mercado competitivo e globalizado a organização que deseja permanecer ativa e atuante necessita constantemente estar aprimorando e inovando seus processos, serviços e/ou produtos e, por conseguinte, os profissionais precisam manter-se qualificados mantendo uma visão holística da empresa e do mercado, podendo assim continuar empreendendo. O crescimento econômico sustentável é consequência do grau de empreendedorismo de uma comunidade. Este artigo tem o propósito de estudar a importância da introdução do empreendedorismo como uma ferramenta de diferencial competitivo para o profissional de graduação do Brasil. O presente artigo consiste em uma revisão de literatura, utilizando artigos científicos de revistas indexadas, relacionados ao tema proposto, na língua portuguesa, contemplando os anos de 2010 a 2015, além de livros da área de administração encontrados no acervo particular do pesquisador. Conforme pesquisa com discentes realizada pela Endeavor Brasil, os alunos que têm interesse em aulas de ensino empreendedor, mas seus cursos não oferecem a disciplina, o resultado por curso foi: 32,4% dos alunos de ciências humanas, 26,2% dos alunos de letras e artes e 25,5% dos alunos de ciência da saúde. Outro ponto de relevância neste estudo é que os alunos que fizeram parte das empresas Júnior se sentem mais confiantes e mais preparados para abrir seu próprio negócio. Para que as instituições de ensino superior possam disponibilizar alunos mais preparados, visto que é de interesse dos alunos e da sociedade, estas deveriam inserir em seus currículos disciplinas relacionados ao empreendedorismo e incentivar a criação e participação nas empresas Júnior, podendo desenvolver as práticas necessárias para todo o negócio e inter-relacionar docentes e discentes de diversos cursos, para assim apreender um com o outro dentro das práticas do dia a dia.

 

Referências

BRASIL, Ministério da Educação (MEC) Censo da educação superior 2012: resumo técnico. – Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2014.

Dolabela, Fernando. Oficina do empreendedor. – Rio de Janeiro: Sextante, 2008.

Dornelas, José Carlos Assis. Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

DRUKER, Peter Ferdinand. Inovação e espírito empreendedor. Editora Pioneira, 1987.

HISRISH, Robert D.; PETERS, Michael P.; SHEPHERD, Dean A. Empreendedorismo. 9. ed. Porto Alegre: AMGH, 2014.

PONTES, Edel Alexandre Silva. A Teoria dos Jogos: Conflito e Colaboração. RACE-Revista da Administração, v. 1, p. 46-53, 2018.

SANCHOTENE. Marco Empreendedorismo é o futuro profissional. Gazeta do Povo, [S.l.], 21 de outubro de 2007.
Publicado
2019-12-29