ESTRATÉGIA COMPETITIVA E AMBIDESTRIA NO SEGMENTO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

  • Maria Lygia Lima Aguiar Faculdade Luciano Feijão
  • Rogeane Morais Ribeiro Universidade Vale do Itajaí UNIVAL
  • Maria do Socorro Silva Mesquita Universidade Federal do Ceará
  • Letícia de Sousa Fialho Universidade de Fortaleza
  • Paola Aragão Ferreira Silva Universidad Autónoma de Asunción
  • Cláudio Filipe Lima Rapôso Universidad Autónoma de Asunción
Palavras-chave: Estratégia competitiva, Ambidestria, Tecnologia da informação, Inovação

Resumo

As empresas buscam estratégias competitivas para manterem seu sucesso, para isso, os grandes empresários estão buscando investir no setor de tecnologia da informação, tendo em vista que a sociedade atual necessita de dados rápidos e precisos. Inovar trata-se de um processo essencialmente interativo em que há compartilhamento de conhecimentos entre as organizações. Diante disto, a pesquisa objetiva identificar os efeitos da ambidestria organizacional como estratégia competitiva em uma empresa de TI na cidade de Sobral – CE. A ambidestria organizacional surge como uma gestão da inovação aplicada à estratégia empresarial e aos sistemas industriais complexos.  Este estudo utilizou o método qualitativo do tipo estudo de caso. Para a coleta de dados, utilizou-se a entrevista semiestruturada como instrumento de pesquisa baseado no estudo de Popadiuk (2015), aplicada nos três gestores de firma do segmento de TI. A análise de conteúdo foi realizada através da técnica de categorização de dados, onde buscou dividir os resultados da entrevista na temática de cada pergunta. Os resultados foram divididos em três categorias que indicam a codificação das entrevistas transcritas referindo-se ao conhecimento e ambidestria na empresa, bem como, o processo de estratégia e competição e o desenvolvimento de novos produtos e serviços com consumidores. A pesquisa mostrou que a ambidestria organizacional traz efeitos positivos já que seu foco é buscar inovações nos produtos ofertados no mercado tanto nacional como internacional, além de ofertar melhorias frequentes nos processos e sistemas.

 

 

Referências

ABREU, R. N. Marketing de relacionamento no comércio varejista: estudo em uma empresa de material de construção de médio porte em Fortaleza. CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO CEARÁ FACULDADE CEARENSE - CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO FORTALEZA, 2012.

ANTONELLO, C. S; GODOY, A.S. A encruzilhada da aprendizagem organizacional: uma visão multiparadigmática. Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 2, p. 310-332, 2010.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisbôa, Edições 70, 2011.

BASTIANI, Vinícius. Sistemas de gestão e Ambidestria organizacional estudo de caso em uma empresa transnacional brasileira. Dissertação apresentada ao Mestrado em Sistemas de Gestão da Universidade Federal Fluminense – Niterói, 2015.

CUNHA, P. R. F. ENGENHARIA DE SOFTWARE: Qual é o impacto da ES no mercado de Computação e na sociedade como um todo? - Revista brasileira de Computação - Março - 2015.

DUNCAN, R. B.. The ambidextrous organization: Designing dual structures for innovation, 1976.

FERRAREZI JUNIOR, Celso. Guia do trabalho científico: do projeto à redação final: monografia, dissertação e tese. 1ª. ed., 1ª Reimpressão – São Paulo : Contexto, 2011.

FINOTI, L. L.; DIDONET, S. R.; TOALDO, A. M. M.; COSTA, J. C. N. A Influência da Inovatividade no Processo de Estratégia de Marketing e o Impacto sobre o Desempenho Organizacional: Evidências do Setor TIC. Brazilian Journal of Marketing – BJM. Revista Brasileira de Marketing – ReMark v. 17, n. 2. Abril/Junho. 2018.

GODOY, A. S. Refletindo sobre critérios de qualidade da pesquisa qualitativa. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, v. 3, n. 2, p. 81-89, mai./ago. 2005.

GORDON, I. Marketing de relacionamento. Estratégias, Técnicas e Tecnologias para conquistar clientes e mantê-los para sempre. São Paulo Ed. Futura, 2001.

JULIÁ, Débora Nicolau. La Influencia del Capital Social y el Conocimiento en los procesos de explotación/exploración e innovación en las empresas del distrito industrial. Tese de Doutorado. Una aplicación al textil valenciano. 2013.

JANSEN, J. J. P.; SIMSEK, Z.; CAO, Q. Ambidexterity and performance in multiunit contexts: cross-level moderating effects of structural and resource attributes. Strategic Management Journal, v. 33, n. 11, p.1286-1303, 2012.

KARRER, Daniel.; FLECK, Denise. Organizing for ambidexterity: A Paradoz-based Typology of ambidexterity-related organizational states. BAR – Brazilian Aministration Review – 2015.

KURTZ, D. J.; VARVAKIS, G. Estudo das capacidades organizacionais sob a lente da ambidestria: Uma abordagem a partir do ponto de vista estratégico. Navus-Revista de Gestão e Tecnologia, v. 3, n. 2, p. 152-162, 2013.

MARCH, J. G. Exploration and exploitation in organization learning. Organization Science, v.2, n.1, p.71-87, 1991.

MARTINS, E. S.; ROSSETO, C. R.; LIMA, C. N.; PENEDO, A. S. T. Comportamento Estratégico e Ambidestria: um estudo aplicado junto às empresas vinícolas brasileiras. R. bras. Gest. Neg., São Paulo, v. 16, n. 52, p. 392-415, jul./set. 2014.

OLIVEIRA, Braulio. Gestão de marketing. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2012.

O’REILLY, C. A.; TUSHMAN, M. L. Organizational ambidexterity: Past, present, and future. Academy of Management Perspectives, 2013.

POPADIUK, Silvio. Exploitation e exploration do conhecimento organizacional: Uma análise em empresas brasileiras. Gestão do conhecimento, capital intelectual e ativos intangíveis: Teorias, métodos e debates sobre a geração de valor nas organizações contemporâneas. Mackpesquisa – Fundo de Auxílio à Pesquisa da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

PORTO, R. B.; SILVA, A. T. V. Efeitos da precificação, da diferenciação e da oferta de valor no desempenho de marcas em contextos competitivos. Revista de Administração, v. 49, n. 1, p. 103-115, 2014.

PICCINI, R. A. B.; BENCKE, F. F.; JUNIOR, S. S.; LAZZAROTTI, F. Inovação nas empresas de tecnologia de informação (TI) do estado de Santa Catarina. Encontro dos estudos sobre empreendedorismo e gestão de pequenas empresas. Passo Fundo, RS, 2016.

RABÊLO NETO, A.; MOTA, M. O.; GOMES, D. M. O. A.; SILVA, L. L. Os antecedentes do consumo de produtos culturais por consumidores de baixa renda. Revista Brasileira de Marketing, v. 13, n. 1, p. 75-92, 2014.

SEMLER, R. F.; SCHENATTO, F. J. A. Diagnóstico da inovação em empresas de tecnologia da informação de um município do sudoeste do Paraná. Revista Navus • Florianópolis • SC • v.7 • n.4 • p. 90-104 • out./dez. 2017.

SEBRAE, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Empresas familiar, 2018.

SILVEIRA-MARTINS, E; ROSSETTO, C. R.; SILVA, A. E. Ambidestria, exploração ou explotação e seus efeitos no desempenho organizacional de vinícolas brasileiras. Revista em Agronegócio e Meio Ambiente, v. 7, n. 3, p. 707, 2014.

SEVERGNINI, E.; GALDAMEZ, E. V. C.; VIEIRA, V. A. Efeitos do Exploration, Exploitation e Ambidestria no Desempenho das Organizações de Software. RAC, Rio de Janeiro, v. 23, n. 1, art. 6, pp. 111-134, janeiro/fevereiro, 2019.

SILVA, A. R. A. Design thinking: novas abordagens criativas e inovadoras direcionadas para o desenvolvimento organizacional – Monografia apresentada ao curso de Pós-graduação em Administração, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

SOARES, S. K. O. C. SILVA, W. A. C. Processo Sucessório: desafios da profissionalização de uma empresa familiar de pequeno porte no setor de informática. Revista de Administração da Fatea, v. 7, n. 7, p. 98-118, ago./dez., 2013.

TAKAHASHI, A. R. W.; BULGACOV, S.; BITENCOURT, C. C.; KAYNAK, H. Expanding the dynamic capabilities view: Special contributions. Revista de Administração de Empresas, 2017.

TEH, C. C. A influência das tensões ambidestras na arquitetura organizacional para inovação: estudo de casos em empresas brasileiras da indústria de transformação. Tese apresentada Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. São Paulo – 2014.

TONELLI, A. O.; ZAMBALDE, A. L.; BRITO, M. J.; BERMEJO, P. H. DE S. A teoria da prática e o desenvolvimento de ambidesteridades no processo de inovação em software. Brazilian Business Review, 2016.

VEIGA, R. T.; URDAN, A. T.; MATOS, C. A Estetização do marketing - v. 54, n. 2 - Revista de Administração de Empresas, p. 232-238, 2014.

VIEIRA, V. A.; ROSA, M. A. G.; FAIA, V. S. A mediação da ambidestria do vendedor na relação entre estresse e desempenho. Revista de Administração Contemporânea, 2017.

WILDEN, R.; HOHBERGER, J.; DEVINNEY, T. M.; LAVIE, D. Revisiting James march (1991): Whither exploration and exploitation?. Strategic Organization, 2018.

YIN, R. K. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. Porto Alegre: Bookman, 2015.

ZAPPATA, E. L.; MUIÑA, F. E. G.; MORENO, S. M. G. De la organización que aprende a la organización ambidestra: evalución teórica del aprendizaje organizativo. Cuadernos de Administración, v. 25, n. 45, p.11-37, 2012.
Publicado
2019-12-30