Libras e Astronomia: Relato de Experiência de Oficina Pedagógica no Instituto Federal do Piauí, Campus Parnaíba - PI

  • Bruna Pamela dos Reis Souza Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Piauí - campus Parnaíba
  • Maria Durciane Oliveira Brito Universidad Tecnológica Intercontinental - UTIC
  • Liziane do Amorim Silva Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Ceará - Campus Sobral
  • Mariene de Sales Silva Universidade Federal do Ceará - Campus Sobral
  • Eline Cristina de Paula Silva Instituto Superior de Educação Programus - ISEPRO
  • Sheila dos Santos Brazil Universidad Tecnológica Intercontinental - UTIC
Palavras-chave: Libras, Astronomia, Inclusão, Educação.

Resumo

A oficina de Astronomia em Libras foi realizada durante o evento: III Encontro Integrador de Ciência, Tecnologia e Sociedade: Desafios da Produção Acadêmica na Atualidade, no Instituto Federal do Piauí - Campus Parnaíba, proporcionando a busca ao conhecimento no processo de inclusão entre surdos e ouvintes, trazendo a ciência em elo com a Língua de Sinais e sua importância para o meio acadêmico. A princípio ocorreu uma breve introdução sobre a Língua Brasileira de Sinais trazendo a lei 10.436 e sua importância para os participantes, em seguida, foram apresentados os sinais da Libras dentro da área de Astronomia, para o complemento desta atividade, foi realizada uma dinâmica para os participantes, objetivando uma maior interação entre os participantes ao ensino da Astronomia sinalizada, e propiciando o aprendizado desta Ciência.

 

Biografia do Autor

Bruna Pamela dos Reis Souza, Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Piauí - campus Parnaíba

Graduanda do Curso de Licenciatura em Física do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí – Campus Parnaíba. E-mail: 

Maria Durciane Oliveira Brito, Universidad Tecnológica Intercontinental - UTIC

Mestranda em Ciências da Educação (UTIC – PY), Pedagoga (UFPI), Especialista em Língua Brasileira de Sinais (INTA - PI e UFPI), Especialista em Educação Infantil (ISEPRO-PI), Pós graduanda em Psicopedagogia (DEXTER – PI) e Graduanda em Letras Libras (UNIASSELVI – PI). 

Liziane do Amorim Silva, Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Ceará - Campus Sobral

Mestranda em Ensino de Física (IFCE- Campus Sobral), Graduada em Física IFPI - Campus Parnaíba, Pós graduanda em Ensino de Física (UCAM). 

Mariene de Sales Silva, Universidade Federal do Ceará - Campus Sobral

Graduanda do Curso de Licenciatura em Música (UFC- Campus Sobral). 

Eline Cristina de Paula Silva, Instituto Superior de Educação Programus - ISEPRO

Pedagogia - UFPI/CMRV; Pós-graduanda em Neuropsicopedagogia – ISEPRO; 

Sheila dos Santos Brazil, Universidad Tecnológica Intercontinental - UTIC

Mestranda em Ciências da educação pela UTIC – PY ; Pós-graduada em Auditoria, Controladoria e Finanças - DEXTER. Graduada em Ciências Contábeis – FAP. 

Referências

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 25 de abril de 2002.

BRASIL. Plano Nacional de Educação. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e dá outras providências. Disponível em: < http://pne.mec.gov.br/18-planos-subnacionais-de-educacao/543-plano-nacional-de-educacao-lei-n-13-005-2014 > Acesso em 27 de Abril 2020.

Declaração de Salamanca. Sobre princípios, políticas e práticas na área das Necessidades Educativas Especiais. Brasília, DF: Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, 1994. Recuperado em 30 de Novembro de 2017 de portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf

GARCIA, R. M. C., & MICHELS, M. H.. A política de educação especial no Brasil (1991-2011): Uma análise da produção do GT15 – Educação Especial da ANPEd. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, 17, 105-124, 2011.

GOLDFELD, Marcia. A criança surda: linguagem e cognição numa perspectiva sociointeracionista. Plexus Editora, 1997.

OLIVEIRA FILHO, Kepler de Souza; SARAIVA, Maria de Fátima Oliveira. Astronomia e astrofísica. São Paulo: Editora Livraria da Física, v. 780, 2004.

STREIECHEN, Eliziane Manosso. LIBRAS: aprender está em suas mãos. Curitiba: CRV, 2013.

VIVIAN, Ellen Cristine Prestes; LEONEL, André Ary. CULTURA SURDA E ASTRONOMIA: Investigando as Potencialidades Dessa Articulação para o Ensino de FÍsica. Revista Contexto & Educação, v. 34, n. 107, p. 154-173, 2019.

XAVIER, Bruno Rocha; VOELZKE, Marcos Rincon; FERREIRA, Orlando Rodrigues. VOZES QUE SAEM DAS MÃOS: O ENSINO DE ASTRONOMIA PARA SURDOS. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n. 3, p. 257-276, 2019.

ZANETTE, Fernanda. A importância de Libras na comunicação com pessoas surdas, 2010. Disponível em http://librasverisfaculdades.blogspot.com.br/2010/07/importancia-de-libras-na-comunicacao.html. Acessado em 24/04/2020.
Publicado
2020-06-24