Oficina de Libras: No Âmbito Educacional, na Saúde e Alimentício

  • Maria Durciane Oliveira Brito Universidad Tecnológica Intercontinental - UTIC
  • Ely Batista de Oliveira Júnior UNIASSELVI
  • Mateus José Ribeiro Universidade Estadual do Piauí - UESPI
  • Maria Cristina Barbosa Pereira Universidade Federal do Piauí - UFPI
  • Hérica Tanhara Souza da Costa
  • Bruna Pamela dos Reis Souza Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Piauí - campus Parnaíba
Palavras-chave: Oficina, Educacional, Saúde, Alimentício.

Resumo

Esse artigo aborda como tema Oficina de LIBRAS: Conhecendo a língua Brasileira de Sinais, em três ambientes: educacional, empresarial no âmbito da saúde, empresarial no ramo alimentício.  Para a pesquisa traçou-se como objetivo geral analisar as contribuições das oficinas de LIBRAS em diversos contextos alimentício, saúde e educacional. E como objetivos específicos, averiguar a contribuição da oficina de LIBRAS no ambiente empresarial no ramo de alimentos; avaliar a contribuição da oficina de LIBRAS no âmbito da saúde e investigar a contribuição da oficina de LIBRAS no âmbito educacional. A metodologia aplicada muniu-se de uma pesquisa bibliográfica, pautado em teóricos como: Brasil (2018); Gesser (2009); Machado (2004); entre outros que deram credibilidade a esse estudo, como também, uma pesquisa de campo nos lugares citados onde aplicou-se as oficinas de LIBRAS e buscou-se repassar o conhecimento básico do idioma. Com isso observou-se a grande necessidade desses departamentos públicos e privados terem esse conhecimento básico do segundo idioma do País.

 

Biografia do Autor

Maria Durciane Oliveira Brito, Universidad Tecnológica Intercontinental - UTIC

Acadêmica em Licenciatura Plena em Letras Libras (UNIASSELVI); Mestranda em Ciências da Educação – UTIC- PY; Graduada em Pedagogia – UFPI; Especialista em LIBRAS – INTA – UFPI, Especialista em Educação em Infantil – ISEPRO; Especialista em Psicopedagogia – (FIAR). 

Ely Batista de Oliveira Júnior, UNIASSELVI

Acadêmico em Licenciatura Plena em Letras Libras (UNIASSELVI) 

Mateus José Ribeiro, Universidade Estadual do Piauí - UESPI

Graduação em Letras - Língua Portuguesa pela  Universidade Estadual do Piauí - UESPI; Especialista em Literatura Brasileira; Especialista em Literatura e Ensino e Outras Linguagens- UESPI. 

Maria Cristina Barbosa Pereira, Universidade Federal do Piauí - UFPI

Graduada em Licenciatura Plena em Matemática- UFPI. 

Hérica Tanhara Souza da Costa

Graduada em Licenciatura em Ciências Biológicas. 

Bruna Pamela dos Reis Souza, Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Piauí - campus Parnaíba

Graduanda em licenciatura em Física -IFPI-campus Parnaíba 

Referências

BRASIL. Presidência da República. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: Acessado em 24 de Fevereiro de 2020.

__________. Lei da Acessibilidade nº 10.098 de 19 dezembro de 2000. Estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L10098.HTM .> Acessado em 24 de Fevereiro de 2020.

__________. Ministério da Educação. Diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica / Secretaria de Educação Especial. MEC; SEESP, 2001.

__________. Lei nº 10.436 de 24 de Abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Disponível em: Acesso em: 07 fevereiro 2020.

__________. Decreto nº 5.626 de 26 de setembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm > 07 fevereiro 2020.

__________. LEI 13.146/2015 (LEI ORDINÁRIA) de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146> Acesso em: 07 agosto 2019.

GESSER, A. LIBRAS? Que língua é essa?: crenças e preconceitos em torno da língua de sinais e da realidade surda. São Paulo: Parábola, 2009.

LANE, H., HOFFMEISTER, R. e BAHAN, B. A journey into the Deaf-World. Califórnia: DawnSign Press, 1996.

MARKOWICZ, H. “Myths about ASL”. In: LANE, H. e GROSJEAN, F. (eds.). Recent Perspectives on American Sign Language. Hilllsdale, New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, Publishers, 1980, p. 1-6.

PERREIRA, M. C. C. org. LIBRAS conhecimento além dos sinais.1.ed. – São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011.

MACHADO, Flávia Medeiros Álvaro. Conceitos abstratos: escolhas interpretativas de Português para Libras. Prisma. Curitiba, 2014.

SLOMSKI, Vilma Geni. Educação Bilíngue para Surdos: concepções e implicações práticas. 1ª Ed. (2010), 1.ª reimp/Curitiba: Juruá, 2011.
Publicado
2020-09-30