Estratégias Pertinentes para a valiação de Leitura no Ensino da Língua Portuguesa no 1º ano do Ensino Fundamental

  • Lucinete Sabino de Lima Universidad Tecnológica Intercontinental - UTIC
Palavras-chave: Estratégias, Prática avaliativa docente, Avaliação, Leitura

Resumo

O presente estudo versa sobre a Pertinência das estratégicas aplicadas na prática avaliativa pelos docentes na avaliação da leitura no ensino da Língua Portuguesa no 1°ano do ensino Fundamental. A Avaliação é uma dimensão importante do processo de ensino-aprendizagem, interferindo de forma significativa no (in) sucesso dos estudantes. Todavia, a sua eficácia depende, em grande parte, das técnicas e das estratégias utilizadas. O recurso de diferentes estratégias de qualidade, em momentos oportunos, permite não só diversificar as evidências recolhidas, mas também tornar o processo avaliativo mais abrangente e mais viável. No entanto, a pertinência dos instrumentos de avaliação tem a ver com a forma como são construídos e utilizados pelos professores, principalmente na melhoria da aprendizagem dos alunos. O estudo de referência bibliográfica com fundamentação teórica em obras de autores como: Menegassi, 2005; Ribeiro, 2016; Carvalho, 2009; Paiva, 2016; Guimarães; Oliveira, 2014; Moraes, 2013; dentre outros. Acredita-se como explicitado pelos autores citados neste trabalho, sobre algumas estratégias aplicadas na prática avaliativa nas diferentes leituras, que possam contribuir para o fazer pedagógico do professor nos Anos Iniciais, na avaliação da leitura no ensino de Língua Portuguesa.

 

Biografia do Autor

Lucinete Sabino de Lima, Universidad Tecnológica Intercontinental - UTIC

Mestranda em Ciências da Educação pela Universidad Tecnológica Intercontinental (UTIC) -PY, Licenciada em Pedagogia pela Universidade do Estado do Amapá (UEAP), Pedagoga, Professora de 1º a 5º ano do Ensino Fundamental I da rede Municipal de Ensino de Ferreira Gomes – AP. 

Referências

ABRAMOVICH, F. Literatura infantil: Gostosuras e bobices. 5. ed. São Paulo: Scipione, (2003).
BRASIL/MEC. Guia de livros didáticos 2019: Língua Portuguesa. PNLD, Brasília: 2018.
_________. Guia de livros didáticos PNLD 2013 Língua Portuguesa / Ministério da Educação. - Brasília, MEC, 2012.
_________. Secretaria de Educação Fundamental. B823p Parâmetros curriculares nacionais: língua portuguesa / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: 1997. 144p.
CARVALHO, C. (2009). Reflexões em torno do ensino e da aprendizagem da estatística: o caso dos gráficos. In: Fernandes, J A.; et al.(Orgs.). In: ENCONTRO DE PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA NA ESCOLA, 2., Actas... Braga (POR), p.22-36, 30 jan. Disponível em: Acesso em: 26/09/2020.
COLOMER, Teresa; CAMPS, Anna. Ensinar a ler, ensinar a compreender. Porto Alegre, 2002.
COSSON, Rildo. O espaço da literatura na sala de aula. In: PAIVA, Aparecida, MACIEL, Francisca, COSSON. Rildo. (Coord.). Literatura: ensino fundamental. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2010. (Coleção Explorando o Ensino; v. 20).
________, Rildo. Letramento literário: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2012.
DIONISIO, Angela Paiva. Gêneros textuais e multimodalidade. In: KARWOSKI, Acir Mário et al. (Orgs.). Gêneros textuais: reflexões e ensino. 4. ed. São Paulo: Parábola, 2011. p. 137- 152.
DONDIS, Donis A. Sintaxe da Linguagem Visual. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
FILIPOUSKI, Ana Maria Ribeiro. Para que ler literatura na escola? In: ________. Teorias e fazeres na escola em mudança. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2005.
FREEDMAN, K. Cultura Visual e Identidade. Cadernos de Pedagogia. Barcelona, n. 312, p. 59-61,2002.
FREITAS, E. (2014). Professor incentivador da leitura. Disponível em: http://educador.brasilescola.com. Acesso em: 21/09/2020.
GONÇALVES, M. (2011). Avaliação da fluência da leitura oral e dificuldades na aprendizagem: aplicações clínicas e educacionais. Comunicação apresentada no VIII Congresso anual IberoAmericano de Avaliação Psicológica. Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa, Lisboa. Acesso em 21/09/2020.
GUIMARÃES, Gilda Lisbôa; OLIVEIRA, Izabella. Construção e Interpretação de Gráficos e Tabelas. In: BRASIL, Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: Educação Estatística. Brasília: MEC, SEB, 2014, p.21-38.
HAYDT, Regina Célia Cazaux. Curso de Didática Geral. São Paulo: Ática, 2011.
HATCHER, P.J., Hulme, C., Miles, N.V., Carroll, J.M., Hatcher, J. Gibbs, S., Smith, G., Bowyer-Crane, C., & Snowling, M. (2006). Efficacy of small group reading intervention for beginning readers with reading-delay: a randomised controlled trial. Journal of Child Psychology and Psychiatry, 47. SHAYWITZ, S. (2003). Overcoming dyslexia: A new and complete science-based program for reading problems at any level. New York: Knopf.
LE GOFF, Jacques. História e Memória. 7. ed. Campinas: Editora Unicamp, 2013.
MARCUSCHI, L. A. Da fala para a escrita. Atividades de retextualização. São Paulo: Cortez, 2010.
MENEGASSI, Renilson José. Avaliação de Leitura. In: MENEGASSI, R. J. Leitura e Ensino. Maringá: EDUEM, 2005, p. 99-120.
MORAES, Ary. Infografia: história e projeto. São Paulo: Luchem, 2013.
MORAIS, Artur Gomes de. Sistema de Escrita Alfabética. São Paulo: Melhoramentos, 2012.
MORETTO, V. P. Prova: Um momento privilegiado de estudo, não um acerto de contas. 8º Edição. Rio de Janeiro: Lamparina, 2008.
PAIVA, F.A. Leitura de imagens em infográficos. In: COSCARELLI, C.V. Tecnologias para aprender. 1. ed. – São Paulo: Parábola Editorial, 2016, p. 43-59.
PASSINI, E. Y. Geografia em sala de aula: prática e reflexões. São Paulo: Contexto, 2007.
PETIT, M. Os jovens e a leitura: uma nova perspectiva. Tradução de Celina Olga de Souza. São Paulo: Editora 34, 2008.
RIBEIRO, A. E. Textos multimodais: leitura e produção. São Paulo: Parábola Editorial, 2016.
RIBEIRO, Emerson. A criatividade em geografia, prática pedagógica e avaliação: lanternas geográficas. Geosaberes, Fortaleza, v.2, n.4, p.61-75, ago./dez. 2011.
RICHTER, Stephanie. Teaching with infographics. Slideshare.net, 15 october 2013.
SOUZA, Silvana Paulino de; GIROTTO, Cyntia Graziella. Modos de ler e ações de leitura. Revista Profissão Docente, Uberaba, v. 13, n. 27, p. 57-70, jun. 2013. Disponível em: http://www.revistas.uniube.br/index.php/rpd/article/viewFile/598/672. Acesso em: 07/12/2020.
ZILBERMAN, Regina. A literatura infantil na escola. 11ª. ed. São Paulo: Global, 2003.
Publicado
2021-01-23