O Ensino da Função do 1º Grau e sua Relação com o Software Geogebra

  • Lydjane Fernandes da Cruz Universidad Autónoma de Asunción - UAA
  • Clara Roseane da Silva Azevedo Mont’Alverne Secretaria Executiva de Educação do Estado do Pará - SEDUC
Palavras-chave: Função do 1º grau, Software educacional, Geogebra

Resumo

Este artigo trata de parte de uma pesquisa sobre a utilização do software Geogebra no processo de ensino-aprendizagem da função do 1º grau. Tem como intuito relatar as principais características desse aplicativo e analisar a relação existente entre este software educacional e a função do 1º grau. Nas aulas sobre funções, os alunos aprendem diante de diversas situações ligadas ao seu cotidiano, destacando-se no cenário atual a utilização das tecnologias como um suporte educacional, que auxilia nas competências e habilidades que se agregarão ao processo avaliativo interno e aos seus saberes que levarão para toda a sua vida. Assim, o software Geogebra é uma forma metodológica de apoio e instrumento de averiguação do ensino-aprendizagem, interligando na prática o que ressaltam os documentos oficiais curriculares para educação no Ensino Médio.            

 

Biografia do Autor

Lydjane Fernandes da Cruz, Universidad Autónoma de Asunción - UAA

Graduada em Licenciatura Plena em Matemática (2006). Especialista em Metodologia do Ensino da Matemática (2016). Professora da disciplina de Matemática na rede estadual do Estado do Amazonas, no município Iranduba. Mestrando em Ciências da Educação pela Universidad Autónoma de Asunción-UAA, Paraguai- (PY). 

Clara Roseane da Silva Azevedo Mont’Alverne, Secretaria Executiva de Educação do Estado do Pará - SEDUC

Doutora em Ciência da Educação pela Universidad Autônoma de Asunción - UAA (2011). Mestre em Serviço Social pela Universidade Federal do Pará -UFPA (2006). Especialista em Educação na Perspectiva do Ensino Estruturado para Autistas (2015). Especialista em Administração Escolar - UCAM (2005). Especialista em Ensino Superior pela Universidade da Amazônia - UNAMA (2001). Graduada em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade da Amazônia - UNAMA -1989 -. Pedagoga da Secretaria Executiva de Educação do Estado do Pará-SEDUC (1993). Pedagoga da Coordenação da Educação Especial - COEES (2012). 

Referências

Brasil. (2008). Orientações curriculares Nacionais de Matemática: Ensino Fundamental e médio. São Paulo.

_____. (1999). Parâmetros curriculares Nacionais de Matemática: Ensino Fundamental e médio. Brasília: MEC-SEF.

______. (2017). Base Nacional Comum Curricular educação infantil e ensino fundamental. Brasília: Ministério da Educação. Disponível em:. Acesso em: 25 de julho de 2019.

Borges, A. (2016). Transições das razões trigonométricas do triângulo retângulo para o círculo trigonométrico: uma sequência para ensino. Dissertação de mestrado profissional em Educação Matemática-PUC-SP, São Paulo.
Carvalhães, M. S. (2015). Tecnologia educacional. São Paulo: Pioneira.

Ferreira, M. J. M. A. (2014). Novas tecnologias na sala de aula. Monografia do Curso de Especialização em Fundamentos da Educação: Práticas Pedagógicas Interdisciplinares. Universidade Estadual da Paraíba, Pró-Reitoria de Ensino Médio, Técnico e Educação à Distância, Departamento da PROEAD, Sousa, PB.

Meirelles, F. S. (2018). Informática: novas aplicações para educação. 2ª ed. São Paulo.

Pontes, E. A. S. (2018). INDAGAÇÕES DE UM PROFESSOR-PESQUISADOR SOBRE O PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA. RACE-Revista de Administração do Cesmac, 2, 11-20.

Silva, L. R; Oliveira, R. G. (2017). Ensino de funções voltadas as práticas do cotidiano por meio da contextualização. Trabalho de Conclusão de Curso de Licenciatura em Matemática pela Faculdade Alfredo Nasser -UNIFAN. Goiás

Silveira, Ê. (2018). Matemática: compreensão e prática: manual do professor. 5ª ed. São Paulo: Moderna.

Sousa, J. R. (2015). Matemática 9º ano: Compreensão e prática. 2ª ed. São Paulo: FDT.
Publicado
2021-01-23