A Metodologia Ativa como Facilitadora da Aprendizagem

  • Hayat Guimarães Freire Zouein Universidad Nacional de Rosario – UNR
Palavras-chave: Metodologias, Competências, Alunos, Aprendizagem

Resumo

A Base Nacional Comum Curricular – BNCC, após ser aprovada apresentou em seu teor o ensino baseado em competências e habilidades. Sabe-se que com o avanço da tecnologia, a aula expositiva não atende mais a demanda da nova geração. Assim sendo, os professores tem por desafio a aplicação de estratégias de aprendizagens que possam tornar possível a compreensão dos conteúdos pela participação ativa dos alunos, que são convidados a expor e trocar ideias, solucionar problemas e realizar propostas envolvendo a comunidade onde estão inseridos. Levando em consideração a atual e urgente necessidade de preparar os educadores para se adequarem a BNCC, esse estudo tem por objetivo fazer uma reflexão sobre as possibilidades de aprendizagem que as metodologias ativas podem propiciar ao educando. Através de um estudo bibliográfico destacam-se autores como: Camargo e Daros (2018), Moran (2018), Perrenoud (2000), Brasil (2018) dentre outros aportes teóricos que abordam a temática apresentada nesta pesquisa. O estudo conclui que as metodologias ativas possibilitam a viabilização do currículo numa vertente mais realista, onde o aluno passa de sujeito passivo para ativo, solucionando problemas e, consequentemente administrando o seu processo de aprendizagem através da problematização dos conteúdos, exercendo assim as competências e habilidades descritas na base curricular nacional. A pesquisa evidencia algumas estratégias de metodologia ativa como: projetos de ensino, estudos de caso, aulas invertidas, contextualização do conhecimento, atividades em grupo, mapa conceitual, socialização do conhecimento adquirido, dentre outras ações que podem levar o aluno a adquirir autonomia, criticidade, curiosidade suscitando assim seu desejo para a aprendizagem e o desenvolvimento da cidadania.

Palavras Chave: ... .

Referências

BACICH, Lilian; MORAN, José. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Penso Editora, 2018.

BASTOS, Tâmara Moraes. APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA: UMA APRENDIZAGEM POSSÍVEL. RACE-Revista de Administração do Cesmac, v. 2, p. 3-10, 2018.

BORGES, Tiago Silva; ALENCAR, Gidélia. Metodologias ativas na promoção da formação crítica do estudante: o uso das metodologias ativas como recurso didático na formação crítica do estudante do ensino superior. Cairu em revista, v. 3, n. 4, p. 119-143, 2014.

BRASIL, Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a base. 2018.

CAMARGO, Fausto; DAROS, Thuinie. A sala de aula inovadora: estratégias pedagógicas para fomentar o aprendizado ativo. Penso Editora, 2018.

GLASSER, William. Teoria da escolha: uma nova psicologia de liberdade pessoal. São Paulo: Mercuryo, 2001.

GEWEHR, Diógenes et al. Metodologias ativas de ensino e de aprendizagem: uma abordagem de iniciação à pesquisa. Ensino & Pesquisa, v. 14, n. 01, 2016.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed.-São Paulo: Atlas, 2003.

MASCARENHAS, Sidnei Augusto. Metodologia Científica. São Paulo: Pearson Education do Brasil. 2012.

PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. Artmed editora, 2020.

PONTES, Edel Alexandre Silva. O professor ensina e o aluno aprende: questões teóricas no processo de ensino e aprendizagem de Matemática. RACE-Revista de Administração do Cesmac, v. 4, p. 111-124, 2019.

SOLÉ, Isabel. Estratégias de Leitura. Penso Editora, 1999.
Publicado
2021-05-01