Fusão entre Empresas de Capital Aberto no Brasil: Análise do Discurso

  • Karoline de Souza Silva Centro Universitário - CESMAC
  • Abraão Gomes de Araújo Centro Universitário - CESMAC
Palavras-chave: Fusão entre empresa, Empresa de capital aberto, Construção de cenário

Resumo

A fusão é utilizada na gestão de empresas como estratégia para maximizar os investimentos, aumentando o valor do negócio para conseguir alcançar objetivos que isoladamente não conseguiram conquistar. Dessa forma, as fusões podem ser entendidas como sendo modernas ferramentas de gestão, desenvolvidas no âmbito estratégico das empresas, cuja finalidade precípua é a expansão econômica dos negócios. A partir dos anos 90, inicia-se uma tendência de fusão para as empresas conseguirem se mantiver no mercado. Somando forças para se sobressair em um meio com ao alto nível de competitividade. O objetivo desta pesquisa analisou as fusões entre empresas de capital aberto no Brasil, as tendências atuais em virtude da evolução da tecnologia e da globalização identificaram os motivos pelo qual as empresas decidem alterar suas estruturas e principalmente fazer um estudo do mercado demonstrando o nível de competitividade e a construção dos cenários. Utilizou-se de análise de discurso através dos recortes com pesquisa hermenêutica. Conclui-se então que nos cenários cada vez mais competitivos a fusão é uma alternativa eficiente com a junção das forças para conquistar os objetivos e ganhar novas fatias de mercado.

 

Referências

ALDRIGHI, Dante Mendes; MAZZER NETO, Roberto. Estrutura de propriedade e de controle das empresas de capital aberto no Brasil. Revista de Economia Política, v. 25, n. 2, p. 115-137, 2005.

ALDRIGHI, Dante Mendes; MAZZER NETO, Roberto. Evidências sobre as estruturas de propriedade de capital e de voto das empresas de capital aberto no Brasil. Revista Brasileira de Economia, v. 61, n. 2, p. 129-152, 2007..

ALMADA, Lívia; POLICARPO, Renata Veloso Santos. A relação entre o estilo de liderança e a resistência à mudança dos indivíduos em um processo de fusão. REGE-Revista de Gestão, v. 23, n. 1, p. 10-19, 2016.

ALMEIDA, Dalci Mendes. Aspectos contábeis e tributários das reestruturações societárias: incorporação, fusão e cisão de empresas. Revista Catarinense da Ciência Contábil, v. 6, n. 16, p. 43-62, 2007.

ART. 228 DA LEI DAS SOCIEDADES ANÕNIMAS DE 1976 – LEI 6404/76. Jusbrasil, 2019. Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/topicos/11477134/artigo-228-da-lei-n-6404-de-15-de-dezembro-de-1976. Acesso em: 28, de julho de 2019.

AULICINO, Antônio Luís. Identificação de problemas potenciais na construção de cenários e na formulação de estratégias em uma organização: proposição de um método: um estudo de caso. 2002. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

BUARQUE, Sérgio C. Metodologia e técnicas de construção de cenários globais e regionais. 2003. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/2865. Acesso em 19 de agosto de 2019.

CAMARGOS, M. e BARBOSA, F.. Desempenho e sinergismo das fusões e aquisições brasileiras ocorridas entre 1995 e 1999. REGE Revista de Gestão, 12 (2), 99-115. 2005.

CORRÊA, Ana Carolina Costa; NETO, Alexandre Assaf; LIMA, Fabiano Guasti. Os indicadores financeiros tradicionais explicam a geração de valor no Brasil? Um estudo empírico com empresas não financeiras de capital aberto. Práticas em Contabilidade e Gestão, v. 1, n. 1, 2013.

COSTA, Julio Cesar Ferreira da. Fatores relacionados aos processos de fusão, aquisição ou incorporação de empresas.. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br. Acesso em: 28, de julho de 2019.
CRISTO, Carlos Manuel Pedroso Neves. Prospectiva estratégica: instrumento para a construção do futuro e para a elaboração de políticas públicas. Revista do Serviço Público, v. 54, n. 1, p. 63-78, 2003.

DA MOTTA, Luiz Felipe Jacques et al. Criação de valor em fusões e aquisições brasileiras. Revista de Administração FACES Journal, 2013.

DE OLIVEIRA BERTUCCI, Janete Lara; BERNARDES, Patrícia; BRANDÃO, Mônica Mansur. Políticas e práticas de governança corporativa em empresas brasileiras de capital aberto. Revista de Administração, v. 41, n. 2, p. 183-196, 2006.

DOS SANTOS, Thaís Alves; CALEGARIO, Cristina Lelis Leal; DE MELO CARVALHO, Francisval. Fusões e aquisições na Indústria Manufatureira: uma análise econométrica das companhias de capital aberto. Revista de Ciências da Administração, v. 20, n. 51, p. 102-119, 2018.

ESPÍNDULA, Raquel Pires; COSTA, Patrícia de Souza. Análise da influência da publicação e da legibilidade dos atos ou fatos relevantes no preço da ação das empresas brasileiras de capital aberto no período de 2002 a 2006. 2008. Horizonte Científico, Uberlândia, v. 2, n. 1, 2010.

EMPRESA DE CAPITAL ABERTO. In: WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre. Flórida: WikimediaFoundation,2019. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Empresa_de_capital_aberto&oldid=55825519. Acesso em: 10 de agosto de 2019.


GODET, Michel et al. A caixa de ferramentas da prospectiva estratégica. CEPES–Centro de Estudos de Prospectiva e Estratégia. Lisboa, p. 76-79, 2000.

K PREZOTTO, VL Lavall - Cascavel: UNIOESTE, 2011 - apec.unesc.net. Disponível em: http://www.apec.unesc.net/V_EEC/sessoes_tematicas/Economia%20industrial,%20ci%C3%AAncia,%20tecnologia%20e%20inova%C3%A7%C3%A3o/AMBEV%20%20AN%C3%81LISE%20DA%20FUS%C3%83O%20E%20OS%20EFEITOS%20SOBRE%20O%20MERCADO.pdf. 04 de agosto 2019.

MAGRO, Luciana; TELÓ, A. As mudanças organizacionais em fusões e incorporações de empresas. Programa de Apoio à Iniciação Científica-PAIC. Recupedaro de https://www. google. com. co, 2011.

MARQUES, Fabio Henrique. Gestão do conhecimento: incorporação na fusão organizacional. Boletim do Gerenciamento, v. 5, n. 5, p. 19-29, 2019.

MAZZIONI, Sady et al. A RELAÇÃO ENTRE A INTANGIBILIDADE E O DESEMPENHO ECONÔMICO: ESTUDO COM EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO DO BRASIL, RÚSSIA, ÍNDIA, CHINA E ÁFRICA DO SUL (BRICS). Advances in Scientific & Applied Accounting, v. 7, n. 1, 2014.

PONTES, Edel Alexandre Silva. A Teoria dos Jogos: Conflito e Colaboração. RACE-Revista de Administração do Cesmac, v. 1, p. 46-53, 2018.

SIFFERT FILHO, Nelson Fontes; SILVA, Carla Souza. As grandes empresas nos anos 90: respostas estratégicas a um cenário de mudanças. 1999. Disponível em: http://web.bndes.gov.br/bib/jspui/handle/1408/11335. Acesso em: 28 de julho de 2019.

SILVA, Lílian Simone Aguiar da; QUELHAS, Osvaldo Luiz Gonçalves. Sustentabilidade empresarial e o impacto no custo de capital próprio das empresas de capital aberto. Gestão & Produção, v. 13, n. 3, p. 385-395, 2006.

SILVA, Valdenis Souza et al. Convergência da inteligência competitiva com construção de visão de futuro: proposta metodológica de sistema de informação estratégica (SIE). 2001.

STURARI, Raul. Metodologia de descrição de cenários. SAGRES Política e Gestão Estratégica Aplicadas, 2008.

SUTTER, Mariana Bassi et al. Construção de Cenários: apreciação de métodos mais utilizados na administração estratégica. Espacios, v. 33, n. 8, p. 13, 2012.

TSUDA, Edson Massami. Fusão, Aquisição e Incorporação: Como Gerenciar o processo de integração pós-aquisição. 1996. Tese de Doutorado.

VANCIN, Daniel Francisco. Dividendos: a vontade de pagar, ou não, das empresas brasileiras de capital aberto. 2013. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/77732. Acesso em: 19 de agosto de 2019.
Publicado
2021-05-08