Cultura Surda

  • Maria de Nazaré da Silva Sousa UNIASSELVI
  • Maria Durciane Oliveira Brito Universidad Tecnológica Intercontinental - UTIC
  • Ely Batista de Oliveira Junior UNIASSELVI
  • Maria Clara de Assis Carvalho Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Piauí - campus Parnaíba
  • Leonardo Santos Miranda Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Piauí - campus Parnaíba
  • Maria Gracelia Paiva Nascimento Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Piauí - Campus Ministro Petrônio Portella
Palavras-chave: Cultura, Literatura, Surdo

Resumo

Esse artigo aborda como tema uma análise bibliográfica acerca da literatura da cultura surda e tem como objetivos: registrar qual a contribuição da literatura surda para a aprendizagem do surdo dentro de sua cultura; analisar as principais características da Língua Brasileira de Sinais; conhecer a cultura surda e os principais aspectos sociais e explanar sobre a literatura surda e a sua contribuição no meio educacional. Uma pesquisa de cunho bibliográfico, utilizando-se de referências de alguns autores, como Ronice Quadros, Perlin, Strobel, que abordam acerca da Literatura e cultura surda.

 

Biografia do Autor

Maria de Nazaré da Silva Sousa, UNIASSELVI

Licenciatura em Pedagogia (FAP); Especialista em Educação Infantil e Ensino Fundamental (FECR); Graduanda em Letras Libras (UNIASSELVI). 

Maria Durciane Oliveira Brito, Universidad Tecnológica Intercontinental - UTIC

Mestranda em Ciências da Educação pela UTIC – PY; Graduanda em Letras Libras – UNIASSELVI; Graduada em Pedagogia – UFPI; Especialista em Libras - INTA; Especialista em Educação Infantil – ISEPRO; Especialista em Libras – UFPI, Especialista em Psicopedagogia Clínica, Institucional e Hospitalar - FIAR.

Ely Batista de Oliveira Junior, UNIASSELVI

Graduando em Letras Libras (UNIASSELVI). 

Maria Clara de Assis Carvalho, Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Piauí - campus Parnaíba

Graduanda do curso de Licenciatura em Química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí - Campus Parnaíba. 

Leonardo Santos Miranda, Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Piauí - campus Parnaíba

Graduando do curso de Licenciatura em Química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e tecnologia do Piauí- Campus Parnaíba. Técnico em Edificações pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e tecnologia do Piauí-Campus Parnaíba. 

Maria Gracelia Paiva Nascimento, Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia do Piauí - Campus Ministro Petrônio Portella

Doutoranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente - Campus Ministro Petrônio Portella, UFPI; 

Referências

BRASIL. Presidência da República. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: Acesso em 16 de Fevereiro de 2021.

__________. Lei da Acessibilidade nº 10.098 de 19 dezembro de 2000. Estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L10098.HTM .> Acesso em 14 de Fevereiro de 2021.

__________. Ministério da Educação. Diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica / Secretaria de Educação Especial. MEC; SEESP, 2001.

__________. Lei nº 10.436 de 24 de Abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Disponível em: Acesso em 07 fevereiro 2021.

__________. Decreto nº 5.626 de 26 de setembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm > 17 fevereiro 2021.

__________. LEI 13.146/2015 (LEI ORDINÁRIA) de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146> Acesso em: 07agosto 2019.

CAPOVILLA, F. C. Filosofias educacionais em relação ao surdo: do oralismo à comunicação total ao bilinguismo. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 6, n. 1, p.99-116, 2000.

GESSER, A. LIBRAS? Que língua é essa? : Crenças e preconceitos em torno da língua de sinais e da realidade surda. São Paulo: Parábola, 2009.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. – São Paulo: Atlas 2002.

MACHADO, Flávia Medeiros Álvaro. Conceitos abstratos: escolhas interpretativas de Português para Libras. Prisma. Curitiba, 2014.

MORGADO, Marta. Literatura em língua gestual. In: KARNOPP, Lodenir; KLEIN, Madalena; LUNARDI-LAZZARIN, Márcia Lise. CULTURA SURDA: Na contemporaneidade negociações, intercorrências e provocações. Canoas: Ulbra, 2011. p. 151-171.

PERREIRA, M. C. C. org. LIBRAS conhecimento além dos sinais.1. ed. – São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011.

QUADROS, R. M. O tradutor e intérprete de língua brasileira de sinais e língua portuguesa. Secretaria de Educação Especial; Programa Nacional de Apoio a Educação de Surdos. Brasília: MEC/SEESP, 2004. P. 94.

QUADROS, Ronice Muller de. LIBRAS, (linguística para o ensino superior; 5), editores científicos Tommaso Raso, Celso Ferrarezi Jr.-1. Ed., - São Paulo: Parábola, 2019.

SILVA, Suêdes Gomes et al. A Inclusão da LIBRAS na Educação à Distância. RACE-Revista de Administração do Cesmac, v. 7, p. 139-147, 2020.

SLOMSKI, Vilma Geni. Educação Bilíngue para Surdos: Concepções e implicações práticas. 1ª Ed. (2010), 1.ª reimp/Curitiba: Jurjuá, 2011.
Publicado
2021-05-26