EDUCAÇÃO E DIÁLOGO

  • Lúcia Cordeiro dos Santos Instituto Federal de Alagoas
Palavras-chave: Diálogo, Palavra, Interação.

Resumo

Pretende-se, aqui, fazer algumas pontuações acerca da relação intrínseca entre diálogo e educação, uma vez que não se pode prescindir do ato “dialógico” na prática educativa. Defende-se a ideia de que a educação só pode conseguir modificar, mudar, transformar as consciências – ainda ingênuas – se conseguir fazer com que o indivíduo adquira, obtenha o saber, o conhecimento. A educação só pode ser transformadora se houver a conscientização da necessidade de auxiliar o aluno a desenvolver o seu potencial crtítico-reflexivo – mediante o poder da palavra verdadeira – para que, assim, ele possa tornar-se o “sujeito ação-relfexão” tão focalizado por Freire (2017).

 

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6022: Informação e documentação: artigo em publicação periódica científica impressa: apresentação. Rio de Janeiro, 2003.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS.NBR 6028:informação e documentação: resumo: apresentação. Rio de Janeiro, 2003.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de Janeiro, 2011.

AZEREDO, José Carlos de (Org.). Língua portuguesa em debate: conhecimento e ensino. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2010. 264 p.

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. Tradução Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 6. ed. São Paulo: Hucttec, 1992. p. 9-135.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1988.

CASTILHO, Ataliba T. de. A língua falada no ensino de português. São Paulo: Contexto, 2014. 158 .p.

CARNEIRO, Moaci Alves. LDB fácil: leitura crítico-compreensiva artigo a artigo.22. Ed, Petrópolis: Vozes, 2013. 196 p.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 40. ed. Rio de Janeiro: Paz e terra, 2017. 190 p.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 2011. 253 p.

GERALDI, João Wanderley. Linguagem e ensino: exercícios de militância e divulgação. 4. ed. Campinas: Mercado de letras, 2002.

PONTES, Edel Alexandre Silva et al. Abordagens Imprescindíveis no Ensino Contextualizado de Matemática nas Séries Iniciais da Educação Básica. RACE-Revista da Administração, v. 1, p. 3-15, 2018.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gramática e Interação: uma proposta para o ensino de gramática no 1° e 2° Graus. 14. São Paulo: Cortez, 2009. p. 17 – 107. 245 p.

VALENTE, André (Org.). Aulas de português: perspectivas inovadoras. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

Publicado
2018-10-10