EDUCAÇÃO FISICA ESCOLAR COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL DE ALUNOS DA ESCOLA ESTADUAL TANCREDO NEVES NO MUNICÍPIO DE MONTE AZUL-MG

  • Roni Marcio Martins da Silva Universidad Tecnológica Intercontinental
  • Jeisabelly Adrianne Lima Teixeira Universidad Tecnológica Intercontinental
  • Aline Marques da Costa Universidad Tecnológica Intercontinental
  • Djalma Santos Souza Universidad Tecnológica Intercontinental
Palavras-chave: Educação Física;, Inclusão Social;, Exercícios físicos

Resumo

O momento sociocultural em que encontra o mundo suscita o debate sobre a inclusão social de todas as maneiras possíveis. Assim, a discussão sobre a inclusão através da Educação Física tem ganhado centralidade nos últimos anos, em função principalmente do aspecto coletivo que predomina de alguns esportes. Desse modo, o conceito de inclusão vem sendo discutido no Brasil como um todo, sob diferentes perspectivas e enfoques teóricos. Nessa perspectiva, esse estudo objetivou realizar uma análise sobre a Educação Física como instrumento de inclusão social dos alunos da Escola Estadual Tancredo Neves no município de Monte Azul-MG. O mesmo torna-se importante na medida em que é fundamental conhecer a realidade social sob a qual se desenvolve as políticas de educação no país. Desse modo, foi desenvolvida uma pesquisa bibliográfica, bem como pesquisa de campo que subsidiarão as diretrizes dos referido estudo. Assim, notou-se que a Educação Física cumpre um importante papel na atualidade, pois a mesma trabalha os mais diversos aspectos da vida dos alunos, entre os quais se destaca o aspecto social. Portanto, concluiu-se que, de fato, a Educação Física configura-se como um instrumento de inclusão social no ambiente analisado. Palavras Chaves: Educação Física; Inclusão Social; Exercícios físicos.

Referências

ALMEIDA, Ruyter da Costa. A influência do Karatê no desenvolvimento motrício em crianças. Revista Eletrônica de Educação Física. 2006. Disponível em: http://www.uniandrade.edu.br. Acesso em 16 de Jun 2016.

ANJOS, Hildete Pereira dos. O espelho em cacos: análise dos discursos imbricados na questão da inclusão. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, 2006.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O Que é Educação. (33ª ed) SP: Brasiliense 1995.

CAIADO Kátia Regina Moreno. Aluno deficiente visual na escola: lembranças e depoimentos. 1° edição, Campinas SP, ed. Autores Associados: PUC, 2003.
CASTELLANI Filho, Lino. Educação Física no Brasil: A história que não se conta. Campinas, SP: Papirus, 1988.
DARIDO, S. C. Educação Física na escola: questões e reflexões. 1. ed. Rio de Janeiro: Guanabara - Koogan, 2003.
ELIAS, N., DUNNING, E. A busca da excitação. Lisboa: DIFEL, 1992.
FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.
JUNIOR, Wilson do Carmo. Educação física e a cultura: uma ontologia das Práticas corporais. São Paulo: Motriz, 1999.
LINCZUK, Edson Luiz. Pedagogia e educação física. Curitiba, PR: Universidade Tuiuti do Paraná, 2002.
PLAISANCE, Eric. Para uma sociologia da pequena infância. Educação e Sociedade, v 25, nº. 86, Campinas, 2004. Disponível em: http://www.robertexto.com. Acesso em: 20 mai. 2016.
SANTOS, Rosângela Pires dos. Psicomotricidade. São Paulo: Course Pack, 1995.
SAVIANI, Demerval. Filosofia da educação brasileira. 6ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.
SASSAKI, R. K. Inclusão: construindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro: WVA, 1997.

VIDAL, R. O papel do educador na Inclusão Social. Disponível em: www.artigonal.com.br

WERNECK, C. Acorda, Monstro! Escritos da Criança. São Paulo: Abril, 1998.
Publicado
2019-02-24