A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL NA PERSPECTIVA DO LETRAMENTO

  • Christiana de Sousa Damasceno Oliveira Universidad Tecnológica Intercontinental
  • Ana Christina de Sousa Damasceno Universidad Tecnológica Intercontinental
  • Raimundo Nonato Coutinho Universidad Tecnológica Intercontinental
Palavras-chave: Aquisição da linguagem, Leitura, Escrita, Letramento

Resumo

Esta pesquisa objetiva investigar o processo de aquisição da linguagem, oral e escrita, na perspectiva do letramento em meio às práticas escolares na Educação Infantil. Visa também, identificar as diferentes formas da linguagem, percebendo o letramento enquanto fonte necessária para o desenvolvimento da linguagem oral e escrita na Educação Infantil. Diante da importância da Educação Infantil, e da necessidade das crianças em utilizarem a linguagem para comunicação, enfocaremos as práticas do letramento enquanto meios eficazes, na aquisição da linguagem escrita nesta etapa educativa. Para facilitar esse trabalho e alcançar os objetivos propostos foi necessário realizar uma pesquisa bibliográfica, com foco nos estudos sobre letramento, leitura e escrita. O estudo teve como referência, teóricos que defendem a aquisição da leitura e da escrita por meio do uso de pequenos textos, vivências e situações para facilitar a aprendizagem dos educandos. A leitura e a escrita não podem ser consideradas atividades isoladas no processo de desenvolvimento da criança. Estes dois processos gráficos fazem parte da evolução da linguagem que se inicia logo nos primeiros dias de vida da criança. A pesquisa possui como base teórica os estudos de Kleiman (2005), Oliveira (2009), Piaget (2002), BRASIL (1998), Solé (2003), entre outros.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretária de Educação Fundamental. Departamento da Educação Fundamental. Coordenação Geral de Educação Infantil. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil: Conhecimento de Mundo. Brasília, 1998. V. 3, p. 151-152.
BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto nacional pela alfabetização na idade certa: currículo no ciclo de Alfabetização. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. -- Brasília: MEC, SEB, 2012.
FERREIRO, Emília. Com todas as letras. 4. Ed. São Paulo: Cortez, 1993.
FISCHER, A. Perspectivas sobre letramento(s) no ensino superior: objetos de estudo em pesquisas acadêmicas.Atos de Pesquisa em Educação– PPGE/ME FURB v. 6, p. 79-93, jan./abr. 2011.
FREIRE, Paulo. Cartas à Guiné-Bissau: Registros de uma experiência em processo. 4. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.
KLEIMAN, A. Preciso ensinar o letramento? Não basta ensinar a ler e a escrever? São Paulo: Produção Editorial, 2005.
MARTELLO, Julie. Many roads through many modes: Becoming literate in earlychildhood. In: MAKIN, Laurie; JONES DIAZ. (eds.). Literacies in Early Childhood.Changing Views Challenging Practice.Sydney: Maclennan&Petty, 2005, p. 35-54.
OLIVEIRA, E. F. Letramento acadêmico: principais abordagens sobre a escrita dos alunos no ensino superior.Anais do II Encontro Memorial do Instituto de Ciências Humanas e Sociais: Nossas Letras na História da Educação. Universidade Federal de Ouro Preto. Ouro Preto: Ed. da UFOP, 2009.

PIAGET, Jean. Seis estudos de psicologia. 22. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002.
TEBEROSKY, Ana, COLOMER, Teresa. Aprender a Ler e a Escrever - uma proposta construtivista. Porto Alegre Artmed. 2002.
SANTOS, M. T. M. dos; NAVAS, A. L. G. P. Distúrbios de leitura e escrita: teoria e prática. São Paulo: Manoele, 2002.


SOLÉ. Isabel. Leitura em Educação Infantil? Sim, Obrigada! In: TEBEROSKY, A. etal. Compreensão da leitura: a língua como procedimento. São Paulo: Artmed, 2003.
STREET, B. V. Social Literacies.Critical Approaches to Literacy in Development,Ethnography and Education.Harow: Pearson, 1995.
VÓVIO, C. L.; SOUZA, A. L. S. Desafios metodológicos em pesquisas sobre letramento. In: KLEIMAN, Â.; MATÊNCIO, M. de L. M. (Orgs.) Letramento e formação do professor. Campinas: Mercado de Letras, 2005. p. 41-64.
Publicado
2019-04-03