REFLEXÕES SOBRE O ENSINO JURÍDICO NO BRASIL

  • João Pereira Júnior

Resumo

Geralmente, quando o tema do ensino jurídico vem à baila, os aspectos destacados pelos críticos giram em torno dos seguintes aspectos: ensino, pesquisa, extensão, grade curricular, vestibulares sem filtragem efetiva, proliferação de cursos de Graduação em Direito e técnicas de ensino. Nada obstante, o presente artigo buscou um viés diferente, fazendo uma abordagem sobre o próprio docente e a sua autoconsciência acerca do seu papel de mediador, bem como a necessária preparação formal do docente para o magistério como questão antecedente a qualquer outra, levando-se em conta que os cursos de mestrado e doutorado não são suficientes para formar professores, mas, sim, pesquisadores. Procuramos demonstrar que os problemas enfrentados pelas primeiras faculdades de Direito do Brasil, fundadas sob o pálio do liberalismo, são os mesmos enfrentados atualmente, deixando claro que o ensino jurídico, no Brasil, sempre foi problemático, afastando a ideia de crise.

Referências

CAZAUX HAIDT, Regina Célia. Curso de Didática Geral, 7ª edição, 2ª impressão, São Paulo: Editora Ática, 2000.

DEMO, Pedro. Desafios Modernos da Educação, 12ª edição, Petrópolis: Editora Vozes, 2002.

LIMA LOPES, José Reinaldo. O Direito na História, Lições Introdutória, 2ª edição, São Paulo: Max Limonad, 2002.

MARTINEZ, Sérgio Rodrigo. A evolução do ensino jurídico no Brasil. Jus Navigandi, Teresina, a. 10, n. 969, 26 de fev. 2006. Disponível em: Acesso em: 23 mai. 2006.

RIZZATTO NUNES. Introdução ao Estudo do Direito, 6ª edição, revista, atualizada e ampliada, 2ª tiragem, São Paulo: Saraiva, 2006.

ROESLER, Claudia Rosane. Formação para a Pesquisa e o Ensino e Profissionalização do Magistério no Ensino Jurídico: Notas para Pensar esta Realidade a Partir da Distinção Entre o Enfoque Dogmático e o Enfoque Zetético. Anuário ABEDi, ano 2, nº 2, Florianópolis: Fundação Boiteux, 2004, p. 89-98. ISSN: 1679-7523.

STAMFORD DA SILVA, Artur. Relação Professor/Aluno. Projeto Pedagógico como Indício de Superação do Pacto da Mediocridade. Anuário ABEDi, ano 2, nº 2, Florianópolis: Fundação Boiteux, 2004, p. 23-42, ISSN: 1679-7523.

VASCONCELOS, Maria Lúcia Marcondes Carvalho. A Formação do Professor de 3º Grau. Revisão Janet Yunes Elias, São Paulo: Pioneira, 1996 - (Biblioteca Pioneira de Ciências Sociais. Educação).

Publicado
2017-07-30