REGIÃO MENTUAL COMO ÁREA DOADORA INTRA-BUCAL PARA ENXERTIA ÓSSEA: Relato de caso.

  • Milkle Bruno Pessoa Santos CESMAC

Resumo

A utilização de enxerto ósseo do mento tem como objetivo de readequar regiões alveolares atróficas, como em casos de necessidade óssea para implante ou trauma, sendo um procedimento viável e previsível em sua maioria, visto que as principais vantagens de utilizar o enxerto intrabucal são os bons resultados apresentados no pós-operatório, a manutenção do volume do bloco, sua praticidade e baixo índice de rejeição. O osso autógeno de procedência intra-oral apresenta características biológicas excepcionais para enxertia, o que torna a sua taxa de reabsorção pós-operatória menor, permitindo sua rápida incorporação. A região usada possui fácil acesso, além de qualidade e quantidade óssea suficiente para diversos procedimentos, tornando-a uma área de doação utilizada com grande frequência pelos cirurgiões. A enxertia óssea também é rotineiramente utilizada em casos de áreas debilitadas devido a fatores fisiológicos e/ou patológicos e regiões com necessidade de maior sustentação do osso. As vantagens do uso da região mentoniana para enxertia são bastante previsíveis, pois torna a reabilitação oral e seus resultados mais satisfatórios, com prognóstico positivo. O objetivo deste trabalho é apresentar o caso clínico de um paciente que foi submetido a procedimento cirúrgico para remoção de osso da região mentual como opção doadora para enxertia óssea em maxila.

Publicado
2015-11-12