A IMPORTÂNCIA DA UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS MÓVEIS, PARA A APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA BÁSICA NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

  • Ligiane Oliveira dos Santos Souza
  • Lutecia Martins da Silva
  • Marcilei da Silva Santos
Palavras-chave: Resolução de Problemas, Tecnologia, Pratica Docente

Resumo

O presente artigo trata da utilização das tecnologias móveis (tablets e smartphones) como recursos didáticos para a aprendizagem dos conteúdos matemáticos, a fim de observar como esses instrumentos podem contribuir para a formação educacional. O estudo, de cunho exploratório, foi realizado com os alunos do Ensino Fundamental 8º ano e apresentamos as análises dos dados coletados na oficina pedagógica realizada com um grupo de alunos composto por estudantes. As análises dos dados sinalizaram para o interesse destes alunos sobre as possibilidades e limitações do uso das tecnologias móveis como recursos de ensino e aprendizagem dos conteúdos matemáticos por meio de aplicativos como o SAMD (Multiply e Desafio matemático). Observamos, ainda, que faltam propostas que abordem as tecnologias móveis como recursos de aprendizagem matemática. No plano didático, o uso de recursos tecnológicos traz também competições de diferentes ordens, envolvendo a necessidade de rever princípios, conteúdos, metodologias e práticas harmonizáveis com as potencialidades dos instrumentos digitais.

 

Referências

BAIRRAL, M. et al. Mãos em ação em dispositivos touchscreen na educação matemática. 1ª. ed. Rio de Janeiro: editora da UFRRJ, 2015.
BORBA. M. et al. Fases das tecnologias digitais em educação matemática: sala de aula e internet em movimento. 1ª. ed. Belo Horizonte: Autêntica editora, 2014.
CARVALHO, M. Formação inicial do professor de matemática: utilização das TIC, dispositivos touchscreen dos tablets, no Estágio Supervisionado. Boletim GEPEM, 2015.
POLYA, G. A Arte de Resolver Problemas. Rio de Janeiro: Interciência, 2006
SOUZA, Fabrício de. Levantamento e análise de softwares livres de física para o ensino médio. TCC Física. Porto Velho: Departamento de Física da Fundação Universidade Federal de Rondônia – UNIR Campus de Porto Velho, 2012. Disponível em: Acesso em: 22 abr. 2015.
Publicado
2019-09-06