A AFETIVIDADE NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL

  • Ivonete Ramalho Piccoli Secretaria de Educação do Estado do Mato Grosso
  • Ivanete Pedrosa da Silva Secretaria de Educação do Estado do Mato Grosso
  • Liamara Da Silva Teixeira Secretaria de Educação do Estado do Mato Grosso
Palavras-chave: Afetividade, Processo de Aprendizagem e Conhecimento, Educação

Resumo

O presente trabalho foi desenvolvido com o objetivo de compreender a importância do afeto nos processos de ensino aprendizagem, compreendendo o dia a dia do professor e aluno, no contexto escolar e as possíveis relações afetivas na sala de aula. Afetividade relacionada ao ensino, principalmente na Educação Infantil, influencia em toda e qualquer dificuldade de aprendizagem e favorece uma maior receptividade do ensino por parte do alunado, que aprenderá com mais facilidade. Sabendo-se da influência da escola e do professor na formação psicossocial do indivíduo, é de substancial importância a presença de um ambiente escolar acolhedor e de educadores capacitados a exercer adequadamente suas tarefas, porém sensíveis ao transmitir afeto na mais ampla concepção da palavra. Deve-se a isso o fato de que desde o início de sua vida o individuo tenta socializar-se, descobrindo o mundo inclusive pela aprendizagem escolar. Essa tentativa acompanhada de sentimentos de afeto fará com que o mesmo sobressaia-se aos obstáculos com sucesso e realização. Do contrário, o indivíduo poderá não conseguir conquistar autonomia, socialização e conhecimento. A escola deve proporcionar ao aprendiz um ambiente de reflexão sobre a vida em sua totalidade, contribuindo, desta forma, para uma consciência crítica e transformadora, oferecendo além dos materiais didáticos e pedagógicos, outros recursos relacionados ao bem estar afetivo de cada aluno, para que o mesmo possa refletir sobre a vida e seus aspectos. Através de algumas estratégias pedagógicas o professor poderá se aproximar do aluno, e trabalhar a parte afetiva, questionando sobre sua historia de vida, sua família e tudo o que se relaciona com ele. Através desta pesquisa observou-se que a afetividade é uma componente fundamental para a atividade educacional, e que a criança precisa de afeto, amor, atenção, carinho e diálogo para poder desenvolver sua identidade e conhecimento, e que todos estes fatores contribuem e influenciam com bastante importância no ensino aprendizagem.

 

Referências

ALMEIDA, S.F.C. O lugar da afetividade e do desejo na relação ensinar-aprender, in: Temas em Psicologia, Desenvolvimento cognitivo: linguagem e aprendizagem. UNB: Sociedade Brasileira de Psicologia, 1993.

ALMEIDA, A. R. S. A emoção na sala de aula. Campinas: Papirus, 1999.

BOSCARATO, Rosinéia Arneiro. A importância da afetividade no ensino aprendizagem. 2014.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais/ Secretaria de Educação fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997.
BRASIL. Referencial curricular nacional para educação infantil, Brasília, MEC/SEF, 1998, Vol I
BRASIL. Referencial curricular nacional para educação infantil, Brasília: MEC/SEF, 1998, Vol II.
CHALITA, Gabriel. Educação: a solução está no afeto. 17. ed. São Paulo: Gente, 2004.
CURY, Augusto J. Pais brilhantes, professores fascinantes. Rio de Janeiro: Sextante, 2003.
FREIRE, P. Educação e Mudança. Tradução de Moac i r Gadot ti e Li l ian Lo pes Martin. Rio de Janeiro. Ed. Paz e Terra, 1983.
GALVÃO, Izabel. Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. Rio de Janeiro: Vozes, 2008.
GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo. Editora Atlas, 2002.
LÔBO, P. L. N. Código Civil Comentado. Direito de Família. Relações de Parentesco. Direito Patrimonial (Coordenador Álvaro Villaça Azevedo). São Paulo: Atlas S.A., 2003.
OLIVEIRA, Marta Kohl. Vygotsky - Aprendizado de desenvolvimento: um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1992.
PINO, A. (1997) O biológico e o cultural nos processos cognitivos, em Linguagem, cultura e cognição: reflexão para o ensino de ciências. Anais do encontro sobre Teoria e Pesquisa em ensino de ciências. Campinas: gráfica da Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, p. 5-24.
PONTES, Edel Alexandre Silva. HIPERMAT–Hipertexto Matemático: Uma ferramenta no ensino-aprendizagem da matemática na educação básica. Revista Psicologia & Saberes, v. 2, n. 2, 2013.
PONTES, Edel Alexandre Silva. A CAPACIDADE DE GERAR SOLUÇÕES EFICIENTES E ADEQUADAS NO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA. Revista Psicologia & Saberes, v. 8, n. 10, p. 193-205, 2019.
PONTES, Edel Alexandre Silva. O PROFESSOR ENSINA E O ALUNO APRENDE: QUESTÕES TEÓRICAS NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA. RACE-Revista da Administração, v. 4, p. 111-124, 2019.
PRADO, Natalianne Lemos do. Afetividade como fator de qualidade na educação infantil: visão de professores. 2013.
REGINATTO, Raquel. A importância da afetividade no desenvolvimento e aprendizagem. Revista de educação do IDEAU, v. 8, n. 18, p. 1-12, 2013.
RIBEIRO, Marinalva Lopes e JUTRAS, France. Representações sociais de professores sobre afetividade. Estudos de psicologia. Campinas, v.23, n.1, p.39- 45, mar 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci-arttext&pid.Acesso em: 03 dez. 2017.
SANTOS, Anderson Oramisio; JUNQUEIRA, Adriana Mariano Rodrigues; DA SILVA, Graciela Nunes. A afetividade no processo de ensino e aprendizagem: diálogos em Wallon e Vygotsky. Perspectivas em Psicologia, v. 20, n. 1, 2016.
TIBA, Içami. Quem ama educa. São Paulo: Gente, 2002.
TURATTI, Maria Sueli; PESSOLATO, Alicia Greyce Turatti; SILVA, Marilia Marinho. A importância da afetividade na educação da criança. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, v. 9, n. 2, p. 129-142, 2011.
Publicado
2019-10-13