PESQUISA EM PSICANÁLISE SOBRE FENÔMENOS SOCIOCULTURAIS:

considerações metodológicas a partir da psicologia das massas freudiana.

  • Mateus Abreu Pereira UFPA
Palavras-chave: Pesquisa em Psicanálise, Pesquisa Teórica em Psican´álise, Psicologia das Massas

Resumo

Originalmente concebida no espaço clínico, a psicanálise não tardou a ser usada também para investigar a sociedade e a cultura, o que trouxe novos desafios e impasses metodológicos. É nesse contexto que o presente trabalho visa compreender, de maneira introdutória, alguns dos aspectos metodológicos concernentes a uma pesquisa psicanalítica de fenômenos socioculturais, privilegiando o referencial teórico da psicanálise freudiana e seu entendimento sobre psicologia das massas. Mediante uma articulação de discussões sobre pesquisa teórica em psicanálise, pesquisa psicanalítica de fenômenos socioculturais e psicologia das massas freudiana, o presente estudo advoga uma indissociabilidade entre epistemologia e metodologia psicanalíticas, o que permite entender a dupla função de conceitos como os de transferência, elaboração e identificação para o ofício do pesquisador em psicanálise. Em termos conclusivos, o estudo argumenta que a psicologia das massas freudiana é um importante referencial teórico e metodológico para pesquisas correntes e vindouras, por apontar uma relação de continuidade e tensão entre o individual e o social, construindo um espectro onde o pesquisador não pode se eximir da relação direta e implicada com seu objeto de pesquisa, dando voz e vez a ele.

Referências

Batista, K.R & Cunha, E.L. (2012). A experiência psicanalítica na investigação social: considerações sobre método. ECOS-Estudos Contemporâneos da Subjetividade, 2, (2), 260-275.
Figueiredo, L.C. & Minerbo, M. (2006). Pesquisa em Psicanálise: Algumas ideias e um exemplo. Jornal de Psicanálise, São Paulo, 39(70): 257-278,
Freud, S. (2010). Considerações Atuais sobre a Guerra e a Morte. In S. Freud, Sigmund Freud: obras completas (P. Souza, trad., vol. 12, pp. 209-246). São Paulo: Companhia das Letras. (Original publicado em em 1915)
Freud, S. (2010). Introdução ao Narcisismo. In S. Freud, Sigmund Freud: obras completas (P. Souza, trad., vol. 12, pp. 14-50). São Paulo: Companhia das Letras. (Original publicado em 1914)
Freud, S. (2011). Psicologia das massas e análise do eu. In S. Freud, Sigmund Freud: obras completas (P. Souza, trad., vol. 15, pp. 13-113). São Paulo, Companhia das Letras. (Original publicado em 1921)
Freud, S. (2013). O tabu da virgindade. In S. Freud, Sigmund Freud: obras completas (P. Souza, trad., vol. 9, pp.364-388). São Paulo: Companhia das Letras. (Original publicado em 1917)
Goldenberg, R. (2014). Psicologia das massas e análise do eu: solidão e multidão. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira.
Iribarry, I. N. (2003). O que é pesquisa psicanalítica? Ágora: Estudos em Teoria Psicanalítica, 6 (1), 115-138.
Jonsson, S. (2013). After Individuality: Freud's Mass Psychology and Weimar Politics. New German Critique, 40, (2), 53-75.

Laplanche, J. (1980). Problématiques. Paris: Presses Universitaires de France.
Le Bon, G. (1995). Psychologie des Foules. 5ª Ed. Paris: PUF, 1995. (Original publicado em 1885)
Mello Neto, G. (2000) A psicologia social nos tempos de S. Freud. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 16(2), 145-152.
Pereira, M.A.; Souza, M.R. (2018). Literatura de autoajuda, sugestão e contemporaneidade: uma leitura psicanalítica. Polis e Psique, 8, (2),162-184.
Rosa, M. (2004). A pesquisa psicanalítica dos fenômenos sociais e políticos: metodologia e fundamentação teórica. Revista mal-estar e subjetividade, 4, (2), 329-348.
Publicado
2019-11-28