Intertextualidade Presente nas Obras de José de Alencar: Influência Estrangeira

  • Mateus José Ribeiro
  • Maria Cristina Barbosa Pereira
  • Maria Durciane Oliveira Brito
Palavras-chave: Formação do romantismo nacional; Influências estrangeiras; José de Alencar.

Resumo

A contribuição e influência de autores estrangeiros para a formação da literatura romântica nacional é o objeto desse estudo. Para tanto, analisa-se algumas obras de escritores do Romantismo europeu (como, dentre outros, Dumas, Balzac, Goethe, Chateaubriand, Victor Hugo, Walther Scott). Busca-se dar enfoque a produção romanesca de José de Alencar, uma vez que ele foi um dos romancistas que mais lutou pela formação da literatura puramente nacional. Ao abordar livros, cartas e autobiografia do autor brasileiro, bem como comentários de críticos contemporâneos seus, busca-se ver até que ponto a influência de autores e obras estrangeiras ajudaram na formação da literatura Romântica brasileira, principalmente em Alencar.

 

 

Biografia do Autor

Mateus José Ribeiro

Graduado em Licenciatura Plena em Letras Português – UESPI; Especialista em Literatura Ensino e outras Linguagens – UESPI; Especialista em Literatura Brasileira – Faculdade Entre Rios. 

Maria Cristina Barbosa Pereira

Graduada em Licenciatura plena em matemática. UFPI; Especialista em Ensino da metodologia da matemática na educação básica" pelo instituto superior de educação PROGRAMUS - ISEPRO 

Maria Durciane Oliveira Brito

Mestranda em Ciências da Educação – UTIC- PY; Graduanda em Letras Libras – UNIASSELVI; Graduada em Pedagogia – UFPI; Especialista em LIBRAS – INTA – UFPI, Especialista em Educação em Infantil – ISEPRO; Especialista em Psicopedagogia – (FIAR). 

Referências

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 14724: Informação e documentação. Trabalhos Acadêmicos – Apresentação. Rio de Janeiro: ABNT, 2002.

ABREU, Casimiro de. As Primaveras. São Paulo: Livraria Editora Martins S/A co-edição Instituto Nacional do Livro, 1972.

ABREU, Jânio Jorge Vieira de. Metodologia da pesquisa e do trabalho científico. Teresina: FUESPI, 2015.

ALVES, Castro, 1847-1871. O navio negreiro e Vozes d’África / Castro Alves. [recurso eletrônico] – Brasília : Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2013

AZEVEDO, Álvares de. Poemas malditos. 3.ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1988.

ALENCAR, José de. “Carta a D. Paula de Almeida”. Obra Completa. Rio de Janeiro, José Aguiar, 1959, vol. I, p. 1212.
. Como e porque sou romancista. Campinas, SP: Pontes, 1990.
. Cinco minutos e A Viuvinha. 15 ed. São Paulo: Ática, 1991.
. O guarani. 20ª ed., São Paulo: Ática, 1996.
. Sonhos d’Ouro. São Paulo: Ática, 2000.

BEZERRA, Valéria Cristina. Entre o nacional e o estrangeiro: José de Alencar e a constituição da literatura brasileira em cenário internacional. Campinas, São Paulo: [s.n.], 2016.

CÂNDIDO, Antônio. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. 2v. 6 ed. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1981.

CAJUEIRO, Roberta Liana Pimentel. Manual de elaboração de trabalhos acadêmicos: guia prático do estudante. 3. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

MACHADO, Ana M. Como e por que ler os Clássicos Universais desde cedo. Rio de Janeiro: Editora Objetiva. 2002

OLIVEIRA, Regina Cibelle de. Esther Van Gobseck e Lúcia: percursos de duas cortesãs.

PEREIRA, Rosamaria Reo. A presença inglesa no Brasil e sua influência nas obras de escritores brasileiros do século XIX.

PUGLIA, Daniel. Muito além da aventura. Caderno Entrelivros: panorama da literatura inglesa. São Paulo: Ediouro Gráfica, v., p. 53-54. 2007.

SCHWARZ, Roberto. Ao vencedor as batatas: forma literária e processo social nos inícios do romance brasileiro. São Paulo. Editora 34, 2000.
Publicado
2020-06-03