A Construção do Letramento Crítico na EJA a partir do Teatro do Oprimido de Boal – Uma Proposta de Júri Simulado

  • Maria Aparecida de Oliveira Borges Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás
  • Mônica Lanza Padrão Instituto Federal de Sergipe
Palavras-chave: Letramento crítico. Teatro. Eja. Andragogia.

Resumo

O objetivo deste trabalho é  apresentar os resultados de uma metodologia  aplicada  ao ensino-aprendizagem do gênero dissertativo-argumentativo, utilizando-se dos jogos teatrais de Viola Spolin, da Estética do Oprimido de Augusto Boal,  com vistas ao letramento crítico  de alunos da Educação de Jovens e Adultos (Eja), a partir da retextualização, roteirização e encenação de um júri simulado, com base no conto “Passeio Noturno I” de Rubem Fonseca. Tecemos ainda, algumas reflexões acerca das aproximações entre as teorias de Augusto Boal e a educação libertadora de Paulo Freire como pontes para a desconstrução da alienação no contexto da Eja.

 

Biografia do Autor

Maria Aparecida de Oliveira Borges, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

Doutora em Ciências da Educação pela Universidad Americana – Assunção Py. Mestra em Ciências da Educação pela Universidad Americana Py, Especialista em Gênero e Diversidade na Escola pela UFG, em Mídias na Educação pela UFG, em Língua Inglesa pela Universidade Evangélica de Anápolis,  em Métodos e Técnicas de Ensino pela Universo – RJ.  Graduada em Letras pela Universidade Estadual de Goiás, Coordenadora regional da Educação Básica pela Secretaria de  Estado da Educação de Goiás. Atualmente é professora de línguas do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás nos cursos  técnico, tecnológico e superior do campus Uruaçu.

Mônica Lanza Padrão, Instituto Federal de Sergipe

Doutora e mestre em ciências da educação pela Universidade Americana - Assunção,  Paraguai. Especialista em Direito Educacional pela faculdade Pio Décimo - Aracaju, Sergipe. Graduada em ciências biológicas e da Saúde pela PUC-MG. Atualmente lotada na Diretoria de Ensino do Instituto Federal de Sergipe - Campus Lagarto. 

Referências

Associação Internacional de Teatro do Oprimido – AITO. (2012). Declaração de Princípios.Disponível http://www.theatreoftheoppressed.org/en/index.php?nodeID=141 . Acesso em 29 jun. 2020, [ Links ]

BRASIL. Orientações Educacionais Complementares aos PCNs na área de Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC; SEMTEC, 2006. Disponível em: . Acesso em: 13 mai. 2017.

BARBOSA, Claudinéia da Silva. O teatro na educação. [S.l.]: Virtual Books, 2000. Disponível em: . Acesso em: 03 out. 2017.

BELLAN, Zezina. Andragogia em ação: como ensinar adultos sem se tornar maçante. Santa Bárbara do Oeste, SP: Z3 Editora e Livrarias, 2005.

BOAL. Augusto. Teatro do Oprimido e outras poéticas políticas. Civilização Brasileira, 1988.

BORGES, Maria Aparecida de Oliveira. As contribuições do teatro para o letramento de alunos em situação de baixo desempenho escolar. Tese de doutorado. Programa de pós-graduação stricto senso. Doutorado em Educação. Assunção-PY, 2017

COSTA, Elisa Augusta Lopes. Teatro na aula de língua portuguesa: um espetáculo em três atos. Revista EDUCAmazônia - Educação Sociedade e Meio Ambiente. Ano 6, Vol XI, Número 2, Jul- Dez, 2013, Pág. 125-145. Versão digital. Acesso em 13 out. 2013.

DE AQUINO, Carlos Tasso Eira. Como aprender: andragogia e as habilidades de aprendizagem. 1.ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2009.

______, Paulo. Pedagogia da autonomia. Saberes necessários à prática
educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.
¬¬¬¬¬¬
______, Paulo. Educação como Prática da Liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.
GONZAGA, Elizete Gomes Torquato. O teatro como recurso didático para motivar os alunos do 3o ano do ensino médio na aprendizagem de Matemática. Dissertação (Mestrado em Matemática) - Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro. Centro de Ciência e Tecnologia. Laboratório de Ciências Matemáticas. Campos dos Goytacazes, 2013.
Disponível em < http://uenf.br/posgraduacao/matematica/wp-content/uploads/sites/14/2019/02/30052018-Eliete-Gomes-Torquato-Gonzaga.pdf> Acesso em 13 out.2017.

JORDÃO, C. M. Abordagem comunicativa, pedagogia crítica e letramento crítico: farinhas do mesmo saco? In: HILSDORF ROCHA, C.; MACIEL, R. (Org.). Língua Estrangeira e Formação Cidadã: entre discursos e práticas. 1. ed.Campinas: Pontes,2013. v. 1, p. 37-54.

JÚNIOR, Bibiano Francisco Elói. O jogo teatral como metodologia no ensino-aprendizagem. Tese (Mestrado). Americana: Centro Universitário Salesiano de São Paulo. 2009. Disponível em . Acesso em 05 Out. 2013.

KOCH, Ingedore G. Villaça. Argumentação e linguagem. 12 ed. São Paulo: Cortez, 2009.

KOUDELA, Ingrid D. Jogos teatrais. São Paulo: Perspectiva, 2011.

________, Ingrid D.. Jogos Teatrais na Pedagogia do Teatro. FAEB 2011. Disponível em < http://www.faeb.com.br/livro/Conferencias/jogos%20teatrais%20na%20pedagogia.pdf> Acesso em 05. out.2017

MARX, Karl. O trabalho alienado. In: OLIVEIRA, Paulo de Salles (org.). Metodologia das ciências humanas. São Paulo: Hucitec / UNESP, 1998. p.151-164.

MARX, Karl; ENGELS, Frederich. Manifesto do partido comunista. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

ROCCO, Gaetana Maria Jovino Di. Educação de Adultos – Uma contribuição para seu estudo no Brasil.1 ed. São Paulo: Loyola. 1979.

ROJO, R. H. R. (2002) A concepção de leitor e produtor de textos nos PCNs:“Ler é melhor do que estudar”. In M. T. A. Freitas & S. R. Costa (orgs) Leitura e Escrita na Formação de Professores, pp. 31-52. SP: Musa/UFJF/INEPCOMPED.

SOARES, L. Formação de educadores de jovens e adultos / organizado por Leôncio Soares. Belo Horizonte : Autêntica/ SECAD-MEC/UNESCO, 2006.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

SPOLIN,Viola. Improvisação para o teatro. São Paulo: Perspectiva, 1992.

TEIXEIRA, T. M. B. (2004). Dimensões Sócio Educativas do Teatro do Oprimido de Augusto Boal. Revista Internacional de Criatividade Aplicada Total, Recrearte, 4, 1-17. [ Links ]
Tribunal do Júri passo a passo. Disponível em : . Acesso em 10 abr. 2017.

UNESCO. A Declaração de Hamburgo sobre Educação de Adultos/Agenda para o Futuro da Educação de Adultos. In: Educação de jovens e adultos: memória contemporânea, 1996-2004. Brasília: UNESCO, MEC, 2004.
Publicado
2020-07-11