IMPACTOS DA DEPRESSÃO PÓS-PARTO NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL

  • Evanisa Helena Maio Brum Centro Universitário Cesmac
  • Larissa Barros Xavier Cesmac
  • Luciana Belo Silva Cesmac
  • Quezia Acioly Castro Omena Cesmac
  • Janne Eyre Araújo Melo Sarmento Cemac
Palavras-chave: desenvolvimento infantil, saúde mental, depressão pós-parto

Resumo

A Depressão Pós-Parto (DPP) é um transtorno emocional que afeta tanto a saúde da mãe quanto o desenvolvimento infantil. Portanto, identificar e tratar a DPP tem sido apontado como um fator de promoção à saúde mental infantil. Dessa forma, este trabalho objetivou revisar a literatura nacional sobre o impacto da DPP no desenvolvimento infantil. Método: A busca e seleção da literatura baseou-se em artigos publicados em periódicos nacionais, nas bases de dados eletrônicas LILACS, Scielo, MEDLINE, COCHRANE e PePsic, no período de 2013 a 2017. Resultados: A busca eletrônica inicial identificou 12 trabalhos. Após a leitura dos resumos para selecionar os trabalhos adequados aos objetivos deste estudo restaram 5 trabalhos. A maioria destes trabalhos (4) avaliaram mais de uma forma de impacto da DPP no desenvolvimento infantil, sendo a mais frequente a interação mãe-bebê (3); seguida da linguagem (2); do desenvolvimento emocional/psicológico (2); do desenvolvimento neuropsicológico (1), e, do desenvolvimento cognitivo (1). Apenas um dos artigos focou um único tipo de impacto que foi o comportamento empático da criança. Conclusão: Dessa forma, foi possível verificar que a DPP tende a impactar de forma adversa a interação mãe-bebê, a linguagem, o desenvolvimento neuropsicológico, cognitivo e emocional. Portanto, tratar a DPP de forma precoce não só é uma ação de saúde mental para a mãe como também uma ação de promoção de saúde mental para o bebê.

Biografia do Autor

Evanisa Helena Maio Brum, Centro Universitário Cesmac
Psicóloga e Pós-Doutora em Psicologia
Larissa Barros Xavier, Cesmac
Acadêmica de Psicologia
Luciana Belo Silva, Cesmac
Acadêmica de Psicologia
Quezia Acioly Castro Omena, Cesmac
Acadêmica de Psicologia
Janne Eyre Araújo Melo Sarmento, Cemac
Psicóloga, Mestranda do Programa Pesquisa em Saúde e Professora do Curso de Psicologia do Cesmac

Referências

Amenican Psychiatric Association - APA (2014). DSM-V: Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. Trad. Maria Inês Corrêa Nascimento et al. (5a ed.) Porto Alegre: Artmed.

Brocchi, B.S., Bussab, V.S.R., & David, V. (2015). Depressão pós-parto e habilidades pragmáticas: comparação entre gêneros de uma população brasileira de baixa renda. Audiologia Commun, 20(3), 262-268.

Carlesso, J.P.P.; Moraes, A.B. (2014). Análise da relação entre depressão materna e indicadores clínicos de risco para o desenvolvimento infantil. Revista CEFAC, 16(2), 500-510.

Lucci, T.K. (2013). Desenvolvimento infantil a partir da perspectiva da Psicologia evolucionista: um estudo de bebês filhos de mães com depressão pós-parto. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo - USP. São Paulo, SP, Brasil.

Organização Mundial de Saúde (1993). Classificação de Transtornos mentais e de Comportamento da CID-10: Descrições Clínicas e Diretrizes Diagnósticas. Porto Alegre: Artmed.

Rios, G.S. (2013). Análise do desenvolvimento da empatia aos dois anos de idade – contexto de criação e presença da depressão pós-parto. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo - USP. São Paulo, SP, Brasil.

Stobaus, L.C. (2013). Desenvolvimento prossocial em crianças de três anos de idade: relações do contexto sócio afetivo de criação e da depressão materna. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo - USP. São Paulo, SP, Brasil.

Publicado
2018-11-18