TESTE DE FLEXIBILIDADE DE ALUNOS PRATICANTES E NÃO PRATICANTES DE EXERCÍCIO FÍSICO DA ESCOLA ESTADUAL MONTE AZUL

  • Jonathan Augusto Teixeira Rodrigues
  • Jeisabelly Adrianne Lima Teixeira Universidad Tecnológica Intercontinental
  • Aline Marques da Costa
  • Djalma Santos Souza
  • Ernandes Gonçalves Dias

Resumo

Os exercícios físicos transformaram-se nas últimas décadas em um importante fator de promoção de saúde. Estas se configuram como elemento essencial de acesso a qualidade de vida e de melhorias nos níveis de flexibilidade. Nessa perspectiva, este estudo objetiva analisar os níveis de flexibilidade dos alunos do ensino médio da Escola Estadual de Monte Azul, praticantes e não praticantes de exercícios físicos. O mesmo torna-se relevante na medida em que a flexibilidade tem consequências fundamentais no cotidiano dos sujeitos. Para tanto, foi realizada uma pesquisa bibliográfica e de campo, utilizando teste de flexibilidade Banco de Wells. Dessa forma, o universo de análise deste estudo corresponde a uma amostra de 200 alunos, de ambos os sexos, da Escola Estadual de Monte Azul-MG. Assim, este estudo analisará questões sobre o papel da Educação Física na atualidade, a importância da prática de exercícios físicos e testes de flexibilidade. Desse modo, percebeu-se que os entrevistados, de maneira geral, possui um nível de flexibilidade médio. Não obstante, os homens possui um nível de flexibilidade superior às mulheres. Portanto, concluiu-se que existe, de fato, existe uma significativa diferença de flexibilidade entre quem pratica e quem não pratica exercícios físicos.

Palavras Chaves: Exercícios físicos; Flexibilidade; Banco de Wells.

Publicado
2019-02-17